Disfunções dos Medos


Link para a Página

É com freqüências que são procuradas por pacientes que apresentam manifestações incontroladas de medos, que inibem suas relações afetivas, pessoais e profissionais. Tais manifestações são decorrentes de algum mal maior,  tal como: de situações existenciais específicas, de vivências traumáticas, de intoxicações ou abusos de bebidas alcoólicas ou drogas, de doenças físicas ou mesmo de forma espontânea, isto é, sem nenhuma causa aparentemente detectada ou conhecida. Estas manifestações de medos apresentam sintomas classificados como   uma tensão branda, até episódios de pânicos radicais e de conseqüências avassaladoras ao indivíduo.

Os medos podem infringir imensos sofrimentos e desalentos ao paciente, causando grande desconforto em sua interação com o meio que congrega. Tal desconforto pode atingir episódios de “paralisia do existir”, isto é, anulação de seu “co-existir”, aniquilando suas capacidades de relacionar-se autenticamente com outras pessoas, trabalho físico e intelectual e perda de autenticidade para consigo mesmo.

As manifestações dos medos apresentam distúrbios muito parecidos entre si, através de uma associação de sintomas e podem surgir por situações inusitadas de perigos iminentes e reais, como também decorrentes de problemas emocionais e afetivos, como comportamento intrínseco a quadros de neuroses e psicoses.

Comumente, os sintomas de medos surgem provenientes de algum objeto ou situações que ameacem ou que representam uma ameaça, mesmo que psíquica; entretanto, ocorrem manifestações de medos  aparentemente desprovidos da  associação de um objeto e situações ameaçadoras.

Os medos normalmente não se apresentam sozinhos, observa-se crises de raivas, impotências e mesmo sensações de culpas ocorrendo durante ou imediatamente após as manifestações de medos. Muitas vezes estes sentimentos estão no seu estado latente, manifestando-se quando estimulados. Os indivíduos que apresentam tais quadros trazem profunda autocrítica, desqualificando-se com facilidade e exercem constantemente da racionalização e transferência de culpas ou responsabilidades.

As causas para o surgimento dos medos e seus distúrbios, são várias provenientes de eventos reais de insegurança e de perigos de vida e de simulações de tais situações ameaçadoras. Porém os medos também se manifestam de tensões prolongadas, estresses, ansiedades, neuroses, quadros de fobias e psicoses. Existem determinadas doenças ou de situações traumáticas decorrentes de tratamentos de saúde ou de intervenções cirúrgicas que podem induzir o surgimento dos medos.

As emoções geradas por crises sucessivas de medos ou por pânicos, mesmo que raros, são de profundo desalento e sofrimento, nem sempre atingindo o alívio dos transtornos. É freqüente a existência de pacientes desesperançados e desesperados, tal é o terror vivido e que, apesar de inúmeras tentativas de tratamentos clínicos alternativos e mesmo religiosos, não conseguem ter encontrado a paz almejada.

Escolho o termo paz, porque o tormento vivido, em alguns casos, é tamanho que é comum o julgamento de expiar uma culpa da qual se desconhece a origem; tais pacientes sentem-se proscritos, condenados e amaldiçoados.

O que é medo? 

Os medos são reações naturais e normais em qualquer ser vivo quando deparados em situações ameaçadoras, com a finalidade da preservação da vida e da própria espécie. No caso dos seres humanos, os medos apresentam-se também como defensores do existir afetivo, da integridade das relações e do pertencer. Protege-nos, também, das  ameaças sobre os nossos projetos, sonhos, da nossa faculdade de pensar e da abstração, bem como de tudo que poderia interferir ou aniquilar nossa liberdade de escolha e de ser.

Enquanto que para os seres vivos em geral, os medos os defendem de “inimigos da espécie”, predadores e fenômenos naturais, nos seres humanos, além desta característica, os medos servem também para a defesa de doenças e sofrimentos em geral, desvios do convívio social e familiar, de perdas e descontroles emocionais, psicológicos e religiosos.

Não saberia dizer em relação aos outros seres vivos, mas nos seres humanos podemos observar uma hierarquia de valores e de prioridades das ameaças. Muitas vezes escolhe-se a morte, a maior ameaça que ronda os seres vivos, para combater uma outra ameaça que desenvolve uma desordem de sintomas de medos por vezes insuportáveis. É comum ouvir-se frases como estas: “Caso eu enlouqueça, espero que me matem!” “Se eu contrai esta doença, eu acabo com a minha vida!” “Minha vida perderá o sentido se perder você…. (ou). se perder o emprego!”

Estas frases, como outras do mesmo gênero, na maioria das vezes ditas no calor de um momento emocional e nem sempre merecedoras de crédito, denunciam a presença desta hierarquia cultural e pessoal das ameaças que aflige todos nós, humanos.

Medos Saudáveis e Medos Patológicos. 

Podemos classificar os medos e suas reações em duas categorias: os medos e manifestações de medos saudáveis, isto é, que previnem, preparam e protegem o indivíduo de ameaças reais e os patológicos, cuja manifestação e reações estão associadas a uma ameaça provinda de distorções perceptuais, conceituais e cognitivas da realidade, provocando verdadeiros sofrimentos e terrores, por  vezes intermináveis.

Distúrbios dos Medos.

Quando estamos estudando e analisando os medos patológicos, observamos que a ameaça encontra-se de forma real ou latente no próprio indivíduo, mesmo que exista um objeto do medo de forma concreta no ambiente. O medo e suas manifestações são reações defensivas que se voltam contra o próprio indivíduo. A ameaça é o próprio sujeito, desenvolvendo um arsenal de defesas contra os sentimentos adversos, controles, resistência física e psicológica e saúde. Estas defesas caracterizam-se nos sintomas psicossomáticos e dos sintomas característicos dos medos, com o objetivo de defender-se desta ameaça “surreal”, procurando a manutenção de um equilíbrio interno.

Tensões e Estresses.

A luta diária pela sobrevivência desenvolve uma série de reações físicas específicas e de comportamentos que sugerem o estado de alerta que os militares são treinados a desenvolver para que se mantenham sempre aptos e lúcidos em situações de risco iminente. Este estado de alerta quase sempre se mantêm intensa quando existe a necessidade, porém se esta intensidade e período forem muito longos, pode ocorrer o surgimento de quadros de exaustão, ou estresses, com comprometimentos da saúde física e mental e alteração da percepção da realidade.

As ameaças que levam ao estresse encontram-se no presente. São situações que podem desestabilizar todo um status previamente constituído.

A Ansiedade.

Enquanto o estressado lida com uma ameaça iminente no agora, mesmo que este quadro esteja sendo alimentado por experiências que se encontram num passado imutável, os ansiosos estão sofrendo no hoje sobre algo que ainda poderá ocorrer no futuro. É uma ameaça que corresponde uma morte física ou existencial, tendo como característica marcante, a antecipação das reações da angústia e agonia de morte ou separação. O angustiado não consegue viver ou mesmo perceber o presente; está sempre voltado à ameaça futura vivenciando o “término” da ameaça, tantas quantos os dias que sucedem, até o evento temido se concretize.

Sua relação com a temporalidade do existir contém uma lógica peculiar. Chamo-a de “recordação do futuro”. O indivíduo passa por uma situação traumatizante e fica “preso” a este passado, como se o tempo e a realidade estivessem congelados. O ansioso encena este passado, seguindo este script já vivido, em todos os seus detalhes, “travestido” as pessoas do hoje, com a roupagem das pessoas do passado.Sua intenção é de entender o ocorrido ou mesmo de concretizar uma fantasia de correção ou transformação dos resultados obtidos com a vivência anterior. Porém, ao reproduzir toda a situação anterior, o resultado também é reproduzido na integra.

Este é o terror do ansioso: aguardar o fim trágico já conhecido.

Fobias. 

Os quadros fóbicos se dividem em “fobias simples”, “fobias sociais” e “agorafobia”.

A fobia está aparentemente voltada às ameaças concretas efetivamente presentes, mantendo-se “presentes na ausência” ou manifestada por uma ameaça volátil, isto é, sem um objeto concreto e real. Por mais que a fobia tenha sido gerada em situações traumáticas do passado, o indivíduo fóbico comporta-se com a ameaça no presente, no seu manifestar-se.

As ameaças fóbicas caracterizam-se por desencadear uma complexidade de comportamentos de defesa através dos medos, de forma extremada sobre um objeto. Este objeto, por sua vez, é percebido transformado, alterado na sua essência, forma e ameaça real, por um delírio de quem os sofre. Como exemplo podemos listar as fobias simples tais como claustrofobia e fobia de insetos.

Racionalmente, os fóbicos conhecem esta sua condição delirante sobre o objeto da fobia mas as reações fóbicas agem “por vontade própria” a despeito de quaisquer vontade ou esforços em contrário. É como se uma “personalidade e realidades surreais” convivessem ao mesmo tempo com a sua própria personalidade, num processo de “esquizofrenização” da percepção, da vontade e do controle.

Com o tempo é comum o fóbico conformar-se com esta realidade entregando-se à impotência e sensação de despersonalização, limitando-se em evitar e se esquiva do contato direto com o objeto de sua fobia e à racionalização.

Este comportamento de evitar e de se esquivar, inibe seu próprio existir, podendo limitar seu viver em situações medíocres e sem desafios mesmo sabedor da não satisfação que esta vida limitada lhe proporciona.

Quem sofre de fobias nutre um profundo desgosto sobre si mesmo, considerando-se covarde quando na presença do objeto da fobia e merecedor de todo o sofrimento decorrente. (Imaginem, por exemplo, um claustrofóbico tendo que visitar o último andar de um prédio muito alto. Certamente não o fará pelo elevador e sim pelas escadas). É comum os fóbicos desenvolverem crises de raivas e agressões, muitas vezes dirigidas à sua própria pessoa.

Esta raiva e agressão denunciam que o fóbico teme a “si mesmo”. A pessoa que convive com fobias tem profundo medo e desconfiança dele mesmo e atribui ao objeto que denuncia esta desconfiança, a característica da ameaça, transferindo “toda a carga defensiva” neste objeto.

A Síndrome do Pânico.

 O Que é Pânico?

Pânico é uma reação humana natural que age sobre situações emergenciais de profundo perigo vital; caracterizando-se por apresentar todo um comportamento característico do “salve-se quem puder”, isto é, reações inusitadas como o último recurso de vida na superação da ameaça terrível que se manifesta. As sensações são de profundo colapso físico e mental, insanidade mental temporária, onde as convicções morais e éticas ficam temporariamente inexistentes. Podemos dizer que no momento do pânico existe uma ausência do “ser  conhecido” e a manifestação de um “outro ser desconhecido ou reconhecido” possibilitando a sensação de despersonalização e loucura.

Esta sensação de “ter ficado louco” não é equivocada. A pessoa quando em pânico vivencia um período de insanidade real.

Todos que passaram por um pânico dado um evento de proporções catastróficas tais como acidente, roubo, seqüestro, incêndio ou por fobias, ou ainda outro evento muito intenso de caráter afetivo e mental, tem suas vidas profundamente modificadas. A sensação de ter sobrevivido ao evento não é suficiente para devolver a auto-estima, o conforto e a tranqüilidade. Estas pessoas tornam-se conscientes de forma radical e concreta de sua vulnerabilidade e finitude.

O Que é Síndrome de Pânico?

O diagnóstico transtorno de pânico ou síndrome de pânico é um diagnóstico novo para um mal antigo. Sua descrição final foi realizada em 1980 nos Estados Unidos. Foram inúmeros os termos para classificá-lo antes deste período: “coração de soldado”, distúrbio neurovegetativo, síndrome do esforço, síndrome do coração irritável, fobofobia (medo de ter medo), hipocondria, neurose da angústia, histeria, entre outros.

A descrição da experiência de pânico é de difícil precisão por que faltam aos que o sentem às palavras para explicar o que realmente vivenciam. É presente o desamparo e desespero em sua tentativa de descrição.

Podemos descrever que o ataque de pânico é de extremada angústia apresentando sintomas físicos intensos que surgem inesperadamente e sem explicação. Esta é a característica principal que diferencia a Síndrome de Pânico dos outros quadros de pânico.

Ansiedade Antecipatória 

Ansiedade antecipatória é um fenômeno que acompanha quem sofre do Transtorno de Pânico. Caracteriza-se por apresentar todo os sintomas de um ataque genuíno de pânico, só que emergido através da recordação das crises vividas anteriormente. Não é considerada uma crise verdadeira e sim decorrente de processos ansiosos. O portador da síndrome, ao vivenciar a crise de pânico, sente-se inseguro dado à violência experimentada e da crise irromper sem uma causa aparente.A causa real deste horror está de alguma forma reclusa no íntimo do indivíduo. O sujeito de crises de pânico necessita tornar a ameaça mais concreta, sendo difícil conviver com ameaças etéreas e fantasmagóricas. Normalmente, o local e situação onde a crise foi experimentada, são promovido como sendo o agente ameaçador. Os próprios medos vivenciados, também se tornam o perigo iminente, a ponto dos pacientes relatarem o desenvolvimento de terem “medo de ter medo”. Todas as vezes que o portador da crise relatar minuciosamente a experiência vivida, bem como, ao transitar junto aos locais onde os eventos de pânico foram experimentados, uma crise idêntica à experimentada, insurge, reproduzindo-se toda a violência dos sintomas e terrores.

A diferença entre as crises de pânico e as crises de ansiedades antecipatórias é que a primeira surge de algo não conhecido, com forma, local e horário aleatórios e as segundas já contêm um objeto formal para os medos e acontecem de forma parecida com as crises experimentadas por quem apresenta fobias.

As crises de pânico são sanadas e controladas através de antidepressivos, o mesmo não ocorrendo com as crises decorrentes da ansiedade. A forma de tratá-las e controla-las é através de processos psicoterapêuticos, de processos regressivos e do acompanhamento terapêutico, aonde o profissional vai até o “local fóbico” com o cliente e o auxilia a superar as crises decorrentes.

Léo Baroni

Formulário de Contato:

264 comentários sobre “Disfunções dos Medos

    1. Josélia, boa tarde.
      Tanto a depressão como as manifestaçãoe de medos, são inerentes ao ser humano. Estas carcterísticas humanas recebem a conotação de doença quando manifestam sintomas intensos e de longa duração e de intensidade crescente. Para estes sintomas que vão além das características consideradas normais, existem tratamentos que proporcionam combate, alívio e radicalização em muitos casos. São tratamentos medicamentosos (psiquiátricos), da terapia da fala (psicoterapia e filosofia clínica) e outros tais como acupuntura, fitoterapia nacional e chinesa, massagem e outros.
      Obrigado, Léo

    2. sofro a 11 anos de depresão e trastorno obisecivo compusive,l eu luto todos os dias com os meus medos e pensamentos negativos estou cançada, não sei o que fazer para me sentir uma pessoa normal eu so queria a minha paz devolta serar que tem cura espero a resposta obrigada?

      1. Andressa, continue lutando, pois é através da persistência que se encontra a possibilidade de vencer a depressão. Recomendo que procure psicoterapia para poder se conhecer melhor, identificar os motivos que alimentam os sintomas depressivos e encontrar formas de diminuir os transtornos.
        Obrigado

  1. Eu tenho ansiedade há 4 anos e tenho pavor em tomar remédios. Cada bula que eu leio tenho mais certeza de que não quero tomá-los. Hoje tenho um maior controle com as minhas crises. O problema é que eu tenho prolapso da válvula mitral, o que também causa alguns sintomas de ansiedade. Leio bastante a noite, horário onde elas aparecem, tento ficar menos possível em casa ou permanecer por muito tempo sozinha, sempre tentando fazer algum tipo de atividade. Mais, o que mais tem me ajudado, é a minha força de vontade de vencer sem medicamentos. Eu sei que vou vencer!! Abraços.

    1. Alessandra,
      obrigado pelo depoimento.
      Acho louvável e corajoso sua atitude de vencer os sintomas sem a medicação, porém, recomendo que você busque acompanhamento psicoterapêutico ou mesmo da acupuntura chinesa para melhor enfrentar seus sintomas eerradicá-lo a contento.
      Léo

      1. Olá Léo!
        Conforme sua orientação, estou fazendo acupuntura e também estou passando semanalmente por um psicólogo. Ainda não estou tomando remédios, se bem, que meu psiquiatra me receitou, mais, tenho pavor em passar mal e é isso que meu psicólogo está trabalhando para que eu supere esse medo absurdo em tomar remédios. Hoje me sinto muito bem, munhas crises diminuiram muito e estou me sentindo muito mais feliz. Tratamentos paleativos funcionam sim e valem muito a pena! Abraçs.

      2. Oi Alessandra.
        Fico contente com os resultados que está obtendo.
        Os tratamentos que está fazendo não são paleativos, são oficiais e eficazes. Quanto ao tomar medicação, procure superar os medos, pois você terá benefícios importantes. Existem muitos preconceitos para com os remédios mas eles são importantes para que você tenha equibíbrio necessário em sua vida e na condução de soluções nas descobertas decorrentes dos processos psicoterapêuticos.
        Obrigado pelo depoimento.
        Léo

      3. Leo o senhor é medico?
        Gostaria de saber , porque acontece isso comigo . Exemplo, quando passo por uma situaçao de pressao , as vezes imagino que as pessoas sabem o que eu estou pensando, sofro muito com isso, acontece isso comigo umas durante a semana, quando estou em casa fico mais tranquila e isso passa, so no trabalho que acontece isso.

      4. Marta,
        Não sou médico, sou psicólogo clínico e acupunturista.
        Parece que você dá muita importância ao que os outros pensam sobre você e das possíveis críticas que possam fazer. Isso está muito próximo do que descrevi no texto sobre as fobias sociais.
        Recomendo que você inicie um tratamento psicoterapêutico para poder entender e resolver estes sintomas.
        Obrigado,
        Léo

      5. Olá Alessandra , me identifiquei com seu depoimento.Tenho os mesmo sintomas que vc. Em 2004 comecei a sentir medos excessivos , na época parecia que estava tento algum problema de coração, pois todos os sintomas levava a crê, mas fiz vários exames e tudo normal. Os médicos me receitavam antidepressivos , mas não sentia melhora .No ultimo eco – cardiograma a medica me disse que eu tinha prolapso da válvula mitral. Eu tenho vários sintomas mas eu não consigo explicar, por isso achei que estava ficando paranoica. Eu mesmo resolvi me curar sozinha assim como vc, passei um bom tempo sem ter sintomas de pânico, mas em 2012 descobri que tinha HIPOTIREODISMO comecei o tratamento e os sintomas voltaram , eu estou apavorada .Me ajudem .

    2. oi alessandra fico muito feliz em descobrir que alguem sofre do mesmo mal que o meu tambem tenho este desturbio e sofro muito por ter dores e nao conseguir injerir nenhum medicamento pelo panico em me fazer mal.agora presiso ver minha bebe que acabou de acordar um abraço sil

      1. Oi também sofro e achei q era só eu que tinha esse problema com remédio meu Deus não tomo nem um analgésico fui na psicóloga ela fez o que pode e psiquiatra receitou mais não consigo tomar sera que um dia tera solução morro de medo de ficar doente e ter q tomar antibióticos ou qualquer outra medicação.

      2. Mile, existem outras formas de tratar a ansiedade e os medos além da medicação alopática. Como sugestão recomento a Homeopatia, a Acupuntura e a Fitoterapia Chinesa e a prática da Meditação e Yoga. Contudo, a continuidade em se desenvolver a psicoterapia é fundamental para o sucesso do tratamento

  2. Sinto tortura, e minhas pernas ficam bambas, parece que coloco o peso do corpo em uma só perna,geralmente quando estou em local com varias pessoas como metro, agencia bancaria etc.
    o que pode ser? e o que devo fazer.

    1. Walter,
      você pode estar apresentando sintomas de fobia social. Seria importante você passar por consulta para precisar os sintomas e obter diagnóstico mais preciso. A psicoterapia seria um ótimo tratamento para os sintomas que apresenta.
      Léo

  3. Léo,
    Obrigada pelo retorno!
    Vou sim buscar esse acompanhamento, conforme sua orientação, acho importante já que não quero me submeter a remédios atidepressivos. Espero, em breve, poder dar meu depoimento dizendo que estou superando com ajudas paleativas.
    Um forte abraço!
    Alessandra.

  4. Ola tenho fobia social,não gosto de sair sozinha e qd saio paso mal, me da forte calor suor nas mãos uma zonzeira é horrivel,porem se estou com alguem me controlo melhor sou muito anciosa e sempre tenho umas crises de choro e me sinto um lixo.
    Me apego muito em Deus e procuro controlar, estou com bebê de 1 ano parei de trabalhar para cuidar dele e agora piorou pois so fico em casa e qd vou ate a esquina me sinto mal, não sei o q fazer ?

    1. Olá Patrícia
      Seria importante procurar um médico da saúde mental pois, provavelmente, você necessita de medicamentos para superar esta fase de estar em casa com o seu filho e com as crises que está passando. Recomendo que também inicie um processso psicoterápico. Coloco-me à disposição para conversarmos pessoalmente a respeito.
      Obrigado. Léo

  5. Tenho a pulsaçao falhando,sinto que o coração dar uma pausa,muita fraqueza nos braços e pernas,dor no peito,tenho muito tontura e moleza!!isso pode ser depressão?

    1. Eliane, boa noite.
      Sim, estes sintomas podem estra denunciando a convivência com depressão intensa. Como sugestão, procure um psiquiatra ou psicólogo para que seja feito o diagnóstico e a proposição de um tratamento correto.
      Léo

      1. Tenho ansiedade me tratei por um bom tempo com floxetine e rivotril….melhorei por um tempo agora estou me tratando com sertralina comecei hoje …acretido que vai dar certo.Boa noite

  6. oi leo boa noite
    li as peguntas de todos e me enquadrei em quase todos os sintomas descritos por todos, fui diagnosticada com depressao e sindrome do pânico em 2002 e desde então tomando medicamentos que ao meu ver não me ajudaram muito uma vez que continuo com muitos dos sintomas, hoje parei com eles, e faço apenas psicoterapia, mais tenho muito medo de nunca obter minha cura é horrivel acordar com a sensação de mais um dia de horror.
    me ajude……..
    lavinia

    1. Oi Lavínia. boa noite!
      Normalmente, quando se tem um diagnóstico de depressão, não se diagnostica os sentimentos relacionados aos medos como “transtorno do Pânico” ou “Síndrome do Pânico” pois o diagnóstico de Depressão, por sua vez, engloba os sintomas de ansiedade, de medos e pânico. Tecnicamente você pode estar apresentando sintomas de depressão ansiosa. Provavelmente os remédios que estava tomando deveriam estar combatendo tanto a depressão como a ansiedade. Talvez seu quadro necessite maior busca no encontro da medicação necessária e adequada, e mesmo que todos os sintomas não haviam sido extintos com a medicação receitada, a mesma trazia algum conforto, mesmo sem a remissão de tudo o que sentia . Escrevo este preâmbulo pois tenho receio que a interrupção do uso da medicação tenha sido feita de forma abrupta e sem o acompanhamento do psiquiatra. Existe um procedimento de se retirar a medicação de forma vagarosa para se evitar o efeito “rebote”, onde os sintomas que estavam controlados possam retornar com efeitos maiores dos já vividos.
      Me conforta em saber que você mantém o tratamento psicoterapêutico, pois somente através deste tratamento você pode encontrar os motivos e significados dos sintomas vividos e de encontrar soluções para os mesmos.
      Tratar a depressão, bem como a ansiedade, requer muita persistência e determinação, por isso, em vez de buscar a “cura” ao longo de um tempo específico, busque entender e vencer seus efeitos nocivos. A depressão é característica humana, temos a capacidade de sentir e em superar os “lutos” que a vida nos impõe. Por isso, busque o que lhe mantèm no “luto”, este deve ser o objeto de sua luta e entendimento. Quanto aos medos, estes são suas defesas contra as “coisas” que te ameaçam. Estes “objetos” que ameaçam é que devem ser indentificados e combatidos e não os seus medos.
      Caso esteja em São Paulo ou na região, ofereço uma conversa mais aprofundada em um dos meus consultórios, sem compromissos, para que você possa tirar dúvidas e encontrar caminhos e confortos em sua jornada de luta contra seus sintomas. Basta ligar e marcar um horário que lhe atenda.
      Em São Paulo atendo na Av. Moema, 635, fone: (11) 3459-8322
      Em São bernardo do Campo: Rua Adriático, 02, fone: (11) 4125-2513
      Obrigado.
      Léo Baroni

  7. Achei exelente, as respostas, sou pastor Evangelico a quase 40 anos e tenho trabalhado como conselheiro no meu escritorio pastoral.A leitura que faço da sua pessoa é de alguem muito humano, atencioso e que visa o bem está dos que o procura em sofrimento. Gostaria muito de connhece-lo pessoalmente e se isto não for possivél,pelo menos corresponder por email, isto me ajudaria muito a ajudar os que me procuram.Atenciosamente João de Brito

  8. eu estou num quadro deperssivo que não tenho coragem de sair de casa tenho medo de sair na rua,é um nervosismo uma tensão o tempo todo o coração acelera tenho a sensação que vou ter um infarto,é horrivel preciso muito de ajuda mais não sei por onde começar.

    1. Leide.
      Primeiramente, é necessário definir um diagnóstico para os sintomas que sente. Procure imediatamente um psiquiatra, pois somente ele poderá dizer se você está com depressão, pânico ou uma disfunção hormonal ou clínica.
      Depois de medicada, lembre-se que os remédios demoram alguns dias para trazer os alívios necessários. Depois, procure um tratamento psicoterapêutico, para trabalhar e resolver os sintomas apresentados. Caso queira conversar mais a respeito, marque um a consulta ém um dos meus consultórios.
      São Paulo, Moema: (11) 3459-8322
      São Bernardo do Campo: (11) 4125-2513.
      Léo

  9. Olá léo
    Sou bem gordinha e extremamente ansiosa, e agora estou muito irritada e CHATA.
    Gostaria de fazer um tratamento com florais, o que acha?
    Obrigada.Dolores.

    1. Dolores, boa noite,
      Os florais são eficazes em diversos tratamentos.
      Proponho que além do tratamento com os florais, procure fazer uma t´psicoerapia de apoio, além de trabalhar com nutricionista.
      Léo

  10. Bom Dia Léo Eu Nunca Tive Medo de Dirigir Na Rodovia de Alguns Anos Para
    Cá Morro de Medo de Dirigir Na Rodovia tenho Que Levar Outro Motorista Comigo.

    1. José, bom dia.
      Entendo seu profundo sofrimento. Normalmente, de forma figurada, o ato de dirigir carros, denotam a segurança, conforto e permissão de se dirigir a si mesmo e a própria vida, ou uma dificuldade direta resultante de trauma surgido em acidente ocorrido de fato. Porém, podem haver inúmeros outros significados.
      Aconselho a iniciar um processo psicoterapêutico para que você possa descobrir os significados “reais” dos seus medos.
      Obrigado,
      Léo

  11. ola bom dia gostaria que você me ajudasse se possivel tenho raramentes crises que acredito se classificada como sindrome do panico desde dos 13 anos de idades mas percebo que esses edos sao relacionados com situaçoes que vao acontecer ou que aconteceram de forte estresse ja fiz um tempo quando nova ate terapia do sono no qual descobri que tinha ficado presa no banheiro quando pequena porisso talves fortes crises de panico dentro do banheiro mas percebi que essas crises se da depois de fortes emoçoes mas nao ssao recorrentes eu tenho que toma medicaçao ando passando por fortes problemas e sinto muito mal estres e medo de sentir medo pois meu medo erelacionado com medo da morte e horrivel mas nao gostaria de tomar remedio tem tratamento sem remedios fortes obrigada aguardo.DOUTOR. Renatas santo andre.

    1. Renata, boa noite.
      Voc~e descreve um quadro crônico, constante e intenso de pânico. Os remédios auxiliariam na contenção das crises de pânico “verdadeiras”, mas não dos Pâncicos decorrentes da “Ansiedade Antecipatória” que surgem onde houveram crises anteriores, tal como a suas experiências de pânico vovidas no banheiro. Existem pessoas que conseguem entender e dominar o pânico com psicoterapia, homeopatia e acupuntura, junto com fitoterapia chinesa. Se quiser conversar mais sobre isso e, sobretudo, do seu problema real, marque uma consulta, sem compromissos em um dos meus consultórios. Em Sãoi Bernardo do Campo o telefone é (11) 4125-2513. Obrigado
      Léo

  12. Sou muito ansiosa e sinto muito calor, Exagerado.
    Tomo 2 remedios p/ depressao e remedio p/ dormir, mesmo assim sinto crizes de vontade de voar e voar sem rumo.
    Estou cansada de tomar remedios e lutar contra essa situacao.
    Sei tambem que isto esta prejudicando meu casamento.
    As vezes sinto que estou inconviniente com essas crizes de depressao e ansiedade.
    Gostaria de um milagre queme faca normal.
    Sei e creio que so Deus p/ fazer milagres, mas qdo e como.

    1. Oi Maria,
      os desalentos e desesperos são constantes quando se luta contra os sintomas adversos da depressão e dos medos. Porém, somente com a perseverança, teimosia e fé pode-se alcançar o sucesso.
      Você faz tratamento medicamentoso, através de antidepressivos e ansiolítticos, o que é muito bom. mas, não seria importante iniciar um processo psicoterapêutico para te auxiliar no encontro das soluções?
      Pense nisso. Deus costuma empreender seus milagres através da ação dos homens, usufrua das descobertas das várias ciências no combate da depressão. Léo

  13. Olá me chamo Ceiça tenho 28 anos e de algum tempo pra cá venho desenvolvendo algumas crises de pânico devido á traumas de crise hipertensivas,já fui ao cardiologista que descartou a possibilidade de ter problemas no coração ou coisa assim, tenho fé em Deus e luto com muito vigor contra a possibilidade de e tornar cronoco. Tenho acompanhamento psicologico. Gostaria de saber se isso tem cura? Só lembrando que não deixo de sair, conversar com meus amigos ou coisa assim. Busco estar sempre disponivel para as pessoas.

    1. Oi Ceiça
      Pânico e depressão são características humanas e, por isso, impossíveis de serem erradicadas, porém o seus excessos, que são os sintomas que você apresenta, são passíveis de tratamento com condiçõies de “vencê-los”. Você já vem desenvolvendo o tratamento mais importante que é a psicoterapia. Tenha sempre em mente que é um tratamento longo que requer paciência e “teimosia” para não adotar possíveis desalentos e resignações que insistirão em aparecer ao longo do tratamento. Não se preocupe com a cronicidade dos seus sintomas, pois independente do tempo que você sofre dos mesmos, existe a possibilidade de alcançar o alívio que busca. Continue saindo, a companhia de amigos sempre ajudarão.
      Tratar pânico e sintomas depressivos é um processo e para tanto você também poderá se utilizar dos benefícios de remédios ministrados por psiquiatras.
      Algumas pessoas respondem muito bem à medicação homeopática e existem ótimos profissionais nesta área com experiência vasta no tratamento dos distúrbios dos medos e na incostância dos humores.
      Existem, também, vários tratamentos complementares e alternativos que poderão te auxiliar tais como acupuntura, ioga, meditação, esporte e arte terapia entre outros. Sempre se utilize das formas de tratamentos que acredita e que se sinta bem fazendo-o. Boa jornada e não desanime.
      Obrigado pelo seu depoimento.
      Léo

  14. Por que tenho tanto medo de ficar sozinha sem um homem pra me proteger, por que este medo, até por que, sou totalmente independente e sofro em pensar que posso ficar sozinha sem um namorado ou um companheiro pra dividir o amor que tenho pra dar?

    1. Elaine, boa noite.
      Pode ser que sua crise não seja necessariamente de dependência, mas de uma ansiedade generalizada sobre a imagem que faz de si mesma.
      O verdadeiro amor aparecerá quando você encontrar alguém que não precisa e que este alguém, igualmente, não precise de você.
      Procure confiar em você, e afaste-se da tentação de querer ser o que você julga ser interessante para o outro.
      Abraços,
      Léo

    1. Rose, boa noite.
      O tratamento é através da psicoterapia, com abordagem fenomenológica existencial, onde se pode utilizar de algumas técnicas que exploram os “estados alterados de consciência”, facilitando a compreensão e o equilíbrio do paciente.
      Também faço tratamento através da acupuntura.
      Léo

  15. Olá Dr. Leo, andei lendo sobre TAG e me identifiquei com alguns dos sintomas. Estou com um dor de cabeça a 25 dias e já cheguei a fazer a tomografia. Hoje,(14/09) ainda não tenho o resultado, porém já estou “morrendo” de medo, já pensei que a dor de cabeça é resultado de algo grave, nâo deve ser, mas não consigo pensar positivo. Sinto tremedeira,frio, a ponta dos dedos gelam, não consigo comer, meu coração dispara e quando tento dormir, adordo de sopetão, como um susto, com o coração disparado. É muito horrivel, a queimação na região da nuca não passa, nem com analgésicos. Essa dor de cabeça começou após uma situação de stress e nervoso no ambiente de trabalho. Estou muito nervosa e preciso de ajuda. Não consigo dormir na minha cama, tenho que ficar na sala, onde vejo a rua e com a TV ligada. Não é um horror? Preciso de ajuda, não consigo parar de pensar no que será que eu tenho na cabeça. Como me consultar com o Dr?. Moro em jundiai, mas posso ir até SP.

    1. Alessandra, boa noite.
      Venha ao meu consultório para que possamos analisar e diagnosticar seus sintomas. Marque um horário.
      Fone: (11) 3459-8322
      endereço: Av. Moema, 635, Planalto Paulista, São Paulo.
      Obrigado
      Léo

  16. olá Léo! quando fico muito ancioso ou nervoso minhas maos tremem muito, ja fui reprovado em exames psicotécnicos por causa disso.. minhas maos treme quando fico pensando dmais em algo q estar por vir. a ansiedade é incontrolável. oq devo fazer? qual o tratamento? isso tem cura definitiva ou terei q usar medicamento p sempre? agradeço.

    1. Karlos, bom dia
      Seus sintomas sugerem uma ansiedade intensa, talvez proveniente de uma fobia social. O tratamento consiste da abordagem psiquiátrica através de medicamentos e da psicoterapia.
      Marque uma consulta para que possamos discutir melhor suas necessidades.
      Meu consultório em São Bernardo do Campo:
      Rua Adriático, 02- Jardim do Mar
      Fone: 4125-2513.
      Obrigado.
      Léo

  17. Oi Dr. Léo, fiquei impressionada com tudo que acabei de ler, o que sinto pode ter explicação agora, todos os sintomas que tenho, foram descritos por essas pessoas, eu estava com medo de ter uma doença qualquer incurável ou sei lá o que, já nem sei mais o que pensar. Parece que vivo á beira de um precipício o tempo todo, qualquer movimento em falso pode me fazer cair, tenho medo de sentir tudo aquilo de novo o tempo todo, não consigo relaxar mais e ser quem eu era, estou ficando esgotada e sem saber como agir. Por mais que eu leia sobre o assunto ainda me encontro confusa, como posso não ter mais controle sobre meus pensamentos e sobre o que sinto fisicamente? isso me parece irreal, todo mundo tem motivos para surtar de vez em quando, mas sempre consegui manter- me saudável psicologicamente frente aos meus problemas, e agora de uma hora para outra não sou mais capaz de gerenciar meu auto-controle, como assim? o que esta me acontecendo agora ? só sei de uma coisa, eu não queria nunca mais ter que passar por isso de novo, tento desviar o foco quando pressinto que a onda vai me engolir de novo, as vezes funciona, mas em outras é inútil e eu tenho que passar por todo aquele turbilhão de sensações ruins de novo, aiai quando isso vai acabar? e por que começou? se eu não tinha nada disso antes? o que mudou na minha vida para dar vazão a tudo isso? são muitas perguntas e nenhuma resposta. Me sinto sozinha e lutando com um inimigo muito mais forte do que eu. Eu preciso vence-lo

    1. Andrea,
      É reconfortante ter a percepção de que o sofrimento vivido tem motivos para tanto. Porém, não basta ter a indicação de um diagnóstico e a explicação dos sintomas para a erradicá-los, é preciso trabalhar sobre os mesmos.
      Através de tratamentos psicoterapêuticos, muitas vezes associados ao acompanhamento psiquiátrico medicamentoso e de outras práticas terapêuticas, pode-se chegar às respostas que procura.
      Na condição em que se encontra é necessário o acompanhamento de profissionais que possam te ajudar. Não há demérito nesta busca, ao contrário, somente através da relação com o “outro” é que tenho condições de me conhecer e me resgatar.
      Caso queira conversar com mais profundidade e cuidado, marque um encontro comigo, sem compromissos.
      Consultório de Moema: 3459-8322.
      Consultório de São Bernardo do Campo: 4125-2513.
      Aguardo seu contato.
      Léo

    1. Débora.
      Recomendo a procura de um psiquiatra para iniciar um tratamento com medicamentos, o mais rápido possível e iniciar um tratamento psicoterapêutico.
      Caso sinta-se de acordo, aguardo seu agendamento, sem compromissos, para que possamos conversar com mais profundidade sobre o que você está sentindo e do surgimento dos sintomas.
      Consultório em Moema: 3459-8322
      Consultório em São Bernardo do Campo: 4125-2513.
      Obrigado. Léo

  18. Dr. Léo, pena que não moro em SP e sim no PR, me sinto como a Andrea que deixou depoimento acima, sinto uma forte pressão no peito, calor, pernas tremulas e não consigo conter meus pensamentos que são muito ruins, sinto muita sonolência durante o dia. Estou me tratando com um psiquiatra a 3 meses, ele receitou Serenata (Cloridrato de Sertralina), tomo um comprimido ao dia por volta de nove e meia da noite. Será que esse é o melhor remédio, porque será que não melhorei ainda?

    1. Oi Dani,
      O tratamento medicamentoso para a depressão e ansiedade requer paciência e visitas constantes ao psiquiatra. Existem algumas famílias de antidepressivos, e não se tem conhecimento, a priori, de quais os medicamentos que melhor comporão para atender a indivíduo específico e suas necessidades. Tais circunstâncias exigem que , muitas vezes, se façam experimentos para se obter a melhor prescrição de remédios e dosagens. Recomendo que continue insistindo em buscar a melhor composição junto ao seu médico, com consultas mais frequentes em períodos menores a 30 dias.
      Proponho que também busque a terapia da fala para poder entender os motivos que fazem a depressão e a ansiedade presentes e para desenvolver estratégia de solução definitiva.
      Obrigado.
      Léo

  19. Dr. Léo, gostei muito de seus artigos, mas não consegui enquadrar meu filho em algum deles
    faz tres anos que estou, tentado ajuda com pscicólogos, mas tenho sucesso só por algum meses, meu filho hoje tem 13 anos e não consegue dormir no seu quarto, sente medo incontrolável, isto só ocorre à noite, porque durante o dia ele não tem medo de nada fica sozinho em casa tranqüilo, e isso esta me causando muita preocupação, já conversei muito com ele, e ele não sabe explicar, dorme comigo e o pai dorme no quarto dele.
    Por favor gostaria de uma orientação, porque não sei mais o que fazer, já tentei de tudo.

    1. Oi Beatriz,
      A forma que vem lidando com os transtornos noturnos que seu filho apresenta , tratando-o através de profissionais competentes, está correta. Não interrompa este seu procedimento e busca. Perceba que sempre existe uma melhora no início destes tratamentos, assim, a fobia apresentada esta sendo devidamente tratada. Por quê então, o ressurgimento da intensidade dos sintomas alguns meses depois do início dos tratamentos? Levanto a seguinte hipótese a ser discutida com os profissionais que o acompanham e com o pai do garoto. Quando algo não está surtindo efeito completo, necessita-se buscar a causa em outras instâncias e me parece que seu filho pode estar se utilizando dos seus sintomas para obter ganhos com os mesmos, por exemplo, dormir ao seu lado, em sua cama e, o pai, fora do quarto. Assim, o problema deve ser tratado, primeiramente na forma como os pais estão lidando com o problema, e em segundo, nos objetivos “inconscientes” que estão sendo alcançados pelo paciente ou por todos nesta dinâmica observada. Quero ressaltar que não estou sugerindo a existência de fingimentos ou manipulação consciente em toda a dinâmica familiar apresentada. Ao contrário, as conquistas inconscientes somente acontecem porque tudo o que está sendo sentido é verdadeiro e intenso. Acredito que esta dinâmica é deve ser questionada e tratada juntamente com os sintomas de terror apresentados.
      Estes sintomas são verdadeiros e o sofrimento é imenso, por parte de todos, sobretudo a ânsia por ajudar e a sensação de impotência e incompetência em se erradicar o problema.
      Este é um espaço muito restrito para se afirmar alguma coisa com precisão. Caso queira discutir mais esta hipótese ou buscar outras que possam contribuir, procure-me. Coloco-me a disposição.
      No blog http://terapiaregressao.wordpress.com apresento alguns textos que podem ajudar neste questionamento
      Obrigado pela consulta.
      Léo

  20. Oi. Tenho crise do pânico (medo de tomar rémedio), mas eu tomo assim mesmo e sinto todos os sintomas que tem na bula, uma ansiedade terrivel, mas agora eu resolvi tratar, fui ao psiquiatra e pretendo fazer terapia. Gostaria de saber isso tem cura? Ontem tive uma crise de ansiedade terrivel, parece que vou morrer, hoje estou bem, com medo de ter outra crise. Já estou tomando o remedio a 9 dias, quanto tempo mais para melhorar e tudo isso passar? Abraços!

    1. Oi Andréia.
      Você está no início do tratamento e é bom lembrar que a medicação, por mais que inicie a atuar no problema imediatamente, este somente se fará completamente perceptível e eficaz, depois de 10 a 15 dias. Até lá, existe a necessidade de se ter paciência e persistência. Parabéns pela decisão em também fazer o tratamento psicoterapêutico. Esta complementará sua estratégia de combater os sintomas dos medos, por entendê-los e em identificar as ameaças que os originam. Como descrevi nos textos, os medos são sentimentos naturais que nos protegem (a vida e a sanidade mental) de ameaças sérias e restritivas. As doenças dos medos são provenientes de não identificarmos as ameaças reais, transferindo a sensação de insegurança e de responsabilidade aos sintomas decorrentes dos medos. Através da ajuda da psicoterapia existe a possibilidade de se radicar estes sintomas quando percebemos os reais motivos deles estarem presentes. Insista com sua estratégia de tratamento, ela está correta para vencer seus medos.
      Léo

  21. oi meu nome e janete eu tenho sidrome do panico eu fui ao psiquiatra ele me receitou medicamento para eu tomar mais eu tenho pavor de tomar remedio eu acho que vou viciar ou morrer as vezes quero ate tomar mais não consigo o medico me deu encaminhamento para pasar no psicologo na ubs ja pasarão meses não consigo sera que tem outro lugar que eu consiga psicologo de graça porque eu estou precisando muito o que eu sinto não desejo pra ninguem espero que possa me ajudar muito obrigado

    1. Janete.
      Os remédios trarão benefícios importantes. Não deixe de tomá-los. Existe metodologia para a suspensão dos mesmos que não trarão desconfortos.
      As faculdades (tais como PUC, Metodista, São Marcos, entre outras) que mantém curso de formação em psicologia promovem programa para atendimento de pacientes de forma gratuita ou através de pagamentos simbólicos. Você também encontrará tratamento através da Filosofia Clínica, para atender ao seu curso de formação de filósofos clínicos. Pesquise o site http://www.institutointersecao.com
      Caso não consiga resultados, agende uma consulta para ver o que poderei fazer por você. fone: (11) 3459-8322.
      Obrigado.
      Léo
      Léo

  22. boa tarde dr leo,tenho um problema a mais ou menos 5 anos,minhas maos ficam tremulas quando vou escrever,e preciso me concentrar para escrever ou entao nem eu consigo ler,
    principalmente quando vou escrever na frente de alguem,ou quando vou fazer alguma prova de faculdade,nos primeiros 5 a 10 minutos o tremor é forte e depois vai diminuindo,mas numca dimiui todo,apenas mas uns 70 %.e tenho tambem a mania de contar objetos,somar placas de carros tipo 5983=25,faço isso com todos os carro que vejo,e parece que isso atrapalha a minha atençao.o que posso fazer?tenho 39 anos.

    grato,luciano.

    1. Luciano,
      Seu relato das disfunções dos medos e tremores se encaixam na descrição da fobia social. Somente através do entendimento e de tratamento adequado você poderá superar os sintomas. Quanto a mania de contar objetos, pode estar vinculado à uma mente inteligente que está sempre em atividade, resolvendo desafios e problemas e/ou na procura obsessiva de distração de problemas vívidos e reais.
      Recomendo a busca de ajuda profissional para poder redimir-se de tais problemas que te incomodam muito, mesmo porque é muito difícil superá-los sozinho, sem algum tipo de ajuda extra.
      Léo

  23. Olá Dr. Serei o mais breve possível para não tomar seu precioso tempo. Minha esposa tem 42 anos, e desde os 30, sofre ouvindo as vozes que interagem com ela e ainda a afetam fisicamente, como por exemplo com fortes dores de cabeças geralmente do lado esquerdo do crânio ao final da sombrançelha. Ela faz tratamento com o psiquiatra, que acha tudo lindo e normal e como solução receita clonazepan, já falou com o padre exorcista que também achou normal, “provavelmente porque não é com eles o caso”. Gostaria da sua orientação se possível, a qual profissional devo procurar, gostaria de uma coisa concreta, como um exame que tenha comprovação cientifica e não de suposições. e assim por fim a esse problema. Obrigado, Reynaldo Russo

    1. Reynaldo, boa noite.
      Os profissionais da área da saúde que podem ajudá-lo, inclusive através de investigações clínicas e por imagens, são os psiquiatras e os neurologistas. Parece-me que não há contentamento com o tratamento que estão obtendo no momento. Aconselho visitarem outros profissionais para que consigam diagnóstico e procedimentos mais precisos e que venham oferecer respostas às vossas angústias.
      Caso necessite discutir o assunto com mais vagar e profundidade, coloco-me a disposição em ajudar.
      Continue com a insistência.
      Léo Baroni
      fone: (11) 3459-8322

  24. Boa tarde Dr Léo Baroni.
    Meu nome é João Alexandre e sou professor.
    Em 2010 tive um transtorno de ansiedade generalizada (TAG), procurei logo uma psiquiatra e fiz o tratamento com escitalopram por 06 meses e mais 03 meses de retirada.
    Tudo com o acompanhamento médico. Parei com o tratamento em setembro de 2011, mas infelizmente por motivo de muito estress no trabalho tive uma recaída, e retornei tdo novamente o meu tratamento.
    Eu estava muito feliz por ter deixado o medicamento, mas infelizmente após 02 meses, sem os mesmo, tive minhas crises novamente.
    O que pode ter acontecido? Será que minha médica antecipou minha retirada? Após o fim do tratamento voltei a beber (cerveja, wisk, etc..), frequentemente, a bebida alcólica pode causar recaídas?
    Obrigado Drº, e fico no aguardo de uma resposta.
    Abraços..

    1. Bom dia João Alexandre.
      Tudo indica que não houve nenhum problema com o tratamento e seu término. Como você descreveu, no início do reaparecimento dos novo episódios de ansiedade observou-se aumento do nível do estresse, fator determinante na geração dos acontecimentos.
      Todo tratamento medicamentoso para distúrbios emocionais e psíquicos atua no equilíbrio químico do corpo, proporcionando bem estar e condições de se atuar no meio em que se vive de forma equilibrada. Caso o ambiente vivido e os problemas agudos que tenham proporcionado o surgimento das crises de ansiedade tenham sido modificados e/ou resolvidos no período, ao suspender o tratamento químico mantém-se o equilíbrio psíquico/emocional de forma duradoura, muitas vezes sem observância de novos episódios de crises de ansiedade agressivas.

      É necessário perceber se as suas circunstâncias existenciais mudaram e o grau de influência destas circunstâncias na experimentação das crises.
      Pode ser que seu problema não seja uma disfunção química ou física, mas uma disfunção emocional e psicológica geradas pela existência. Neste caso, sugiro a utilização das terapias da fala para o enfrentamento e solução destes problemas.

      Quanto à influência do álcool na geração de ansiedades, medos e outros distúrbios psíquicos, é positiva para inúmeros casos, Seria necessário investigar de no seu caso, voltar a ingerir bebida alcólica tenha contribuido para o retorno dos episódios de ansiedade.

      Proponho que conversemos pessoalmente, sem compromissos, para nos aprofundarmos e particularizarmos no seu problema. Marque um horário se lhe agradar: (11) 3459-8322.
      Obrigado.
      Léo

    2. Bom dia João Alexandre.
      Tudo indica que não houve nenhum problema com o tratamento e seu término. Como você descreveu, no início do reaparecimento dos novo episódios de ansiedade observou-se aumento do nível do estresse, fator determinante na geração dos acontecimentos.
      Todo tratamento medicamentoso para distúrbios emocionais e psíquicos atua no equilíbrio químico do corpo, proporcionando bem estar e condições de se atuar no meio em que se vive de forma equilibrada. Caso o ambiente vivido e os problemas agudos que tenham proporcionado o surgimento das crises de ansiedade tenham sido modificados e/ou resolvidos no período, ao suspender o tratamento químico mantém-se o equilíbrio psíquico/emocional de forma duradoura, muitas vezes sem observância de novos episódios de crises de ansiedade agressivas.

      É necessário perceber se as suas circunstâncias existenciais mudaram e o grau de influência destas circunstâncias na experimentação das crises.
      Pode ser que seu problema não seja uma disfunção química ou física, mas uma disfunção emocional e psicológica geradas pela existência. Neste caso, sugiro a utilização das terapias da fala para o enfrentamento e solução destes problemas.

      Quanto à influência do álcool na geração de ansiedades, medos e outros distúrbios psíquicos, é positiva para inúmeros casos, Seria necessário investigar de no seu caso, voltar a ingerir bebida alcoólica tenha contribuído para o retorno dos episódios de ansiedade.

      Proponho que conversemos pessoalmente, sem compromissos, para nos aprofundarmos e particularizarmos no seu problema. Marque um horário se lhe agradar: (11) 3459-8322.
      Obrigado.
      Léo

  25. BOMA DIA DR. LÉO, PRIMEIRO ACHEI IMPORTANTE EM LER ALGUNS COMENTARIOS, POREM VI QUE O SR. É UMA PESSOA COMPROMETIDA COM OS PROBLEMAS DAS PESSOAS, SEM SOMENTE SE PREOCUPAR COM VALORES FINANCEIROS, BOM DIZER DE MIM, FAÇO TRATAMENTO COM PSIQUIATRA A MAIS DE 6 ANOS,TOMO ALGUNS MEDICAMENTOS, ( SERTRALINA, BROMAZEPAN, CARNBONATO DE LITIO), POREM EU PERCEBO QUE AS COISAS NAO ESTA RESOLVENDO CONFORME ESPERAVA,POIS AINDA TENHO ALGUNS MEDOS, POR EX.: EM ABRIR EXTRATO BANCARIO, EM DORMIR EM PAZ, EM TER PAZ, E OUTRAS COISAS MAIS, ESTOU FAZENDO ACUPULTURA , PARA CUIDAR DE UMA DOR NO BRAÇO, E TAMBEM NAO ESTOU VENDO TANTO RESULTADO, ESTOU MESMO ASSIM ME IRRITANDO MUITO FACIL, TEM DIA QUE PARECE QUE VI UM PASSARINHO AZUL COMO DIZEM MAIS TEM DIA QUE PARECE QUE DORMI COM O INIMIGO, SINCERIDADE NAO SEI MAIS O QUE FAZER, TEM COMO ME AJUDAR, SOU DA CIDADE DE MAUÁ.

    1. Petronio, boa noite.
      O tratamento par sua ansiedade mostra-se adequada, mas para os sintomas de fobias, como a que você apresenta quando abre um extrato bancário, é necessário desenvolver tratamento psicoterapêutico para superar os medos e suas restrições atribuídas ao objeto temido. A decisão de se tratar também com a acupuntura foi muito feliz e você poderá obter benefícios importantes, sobretudo na presença da agressividade crescente. Caso necessite conversar com mais profundidade, procure-me no consultório de São Bernardo do Campo: Rua Adriático, 02- fone: (11) 4125-2513. Obrigado
      Léo

  26. Bom dia Dr. Léo !!!!

    Meu pai tem 65 anos uma pessoa super ativa,trabalhando ainda o pliar de nossa familia ele trabalhava como motoristam porém desde maio de 2011 ele teve uma crise muito forte que fez com que ele parasse completamente de trabalhar de se relacionar conoso tb, não saí de casa para nda, atividades rotineiras como tomar banho cortar o cabelo e fazer a barba, hoje para ele é muito dificl, ele diz que tem medo de sair de casa e que não tem vontade de nada.
    Levamos ele ao médico que passou os seguintes medicamentos: rivotril segundo o médico para tratar depressão, dormenid para dormir , lexapro também para a depressão, porém ele teve somente uma pequena melhora no inicio do tratamento agora voltou tudo de novo.
    Ele perdeu cerca de 10 kilos pois pedeu completamente o apetite, e tem muitos problemas de insônia, ele fala que demora muito para dormir que só dorme de madrugada por isso não consegue acordar antes do meio dia.
    Passa a maior parte do dia deitado sem vontade de nada, por favor Dr. Léo nos ajude, será que estamos no caminho certo ? o que o senhor acha desses medicamentos? estamos realmente desesperados pois não sabemos mais o que fazer.

    1. Vanessa, boa noite.
      O tratamento para crises depressivas e de ansiedades requer insistência e paciência ao mesmo tempo. Toda e qualquer mudança, quer positiva ou negativa, bem como a não alteração do quadro deve ser compartilhada, constantemente, com o psiquiatra, para que haja a possibilidade de adequar a medicação e a dosagem para as necessidades do seu pai. Marque as consultas com o psiquiatra com mais frequência e com distanciamento de tempo menores entre as mesmas. Insista nestes procedimentos. Recomendo o inicio imediato de tratamento psicoterapêutico para que seu pai possa entender as origens da crise e encontro de soluções para a mesma. Obrigado.
      Léo

  27. Dr. Léo, lemos os comentários e um pouco de cada tem a ver com o que meu esposo sente mas num contexto geral não consegui formar o que é especificamente.
    Ele sente palpitação, perna trêmula e com isso vem o medo de morrer,por exemplo se ele sentir peso no estômago ele não consegue mais pensar em nada a não ser isso e ele acha que de repente ele pode morrer disso, é como se tudo se fechasse em cima dele, ele se sente como num quarto fechado onde ele só consegue pensar na dor de estômago e na consequente morte, e isso dura até ele conseguir se distrair com outra coisa e ver que de repente passou esta sensação.
    Fisicamente, ele está ótimo, anualmente ele vai ao cardio faz todos os exame, tem uma saúde excelente comprovada pelo médico, é quando ao ver os resultados ele relaxa um pouco mas ao passar alguns meses depois dessa consulta anual tudo volta de forma muito forte.Ele ja se tratou com psiquiatra mas ele achou que o remédio não funcionou bem, ele não parou de sentir os sintomas,então não tomou mais os remédios.
    Aguardo uma dica de como tratar? para se sempre ele vai ter que tomar remédio?
    Quando tempo dura um tratamento eficaz?

    1. Viviane, boa tarde
      O pouco que descreveu dos sintomas que acometem seu marido, sugere que ele passa por um grande transtorno de ansiedade e pânico. O tratamento pode ser através de medicamentos, como experimentaram, porém, há a necessidade de se submeter ao tratamento por um longo período de tempo (acredito que o tratamento foi interrompido muito cedo). O procedimento sugerido nos casos em que a medicação não surta efeito desejado depois de 15 dias, é de revisitar o psiquiatra para que este reveja a dosagem e a prescrição como um todo.
      Parar simplesmente com a medicação e não iniciar quaisquer outra intervenção clínica, não resolve o problema, agrava-o.
      A medicação, por si só, pode diminuir ou erradicar os sintomas da ansiedade e medos, mas não soluciona a ameaça (real ou imaginária) que originam tais comportamentos. Os médicos e exames atestam que o problema de saúde de seu marido não é físico e sim psicológico e afetivo. Recomendo, portanto, que se realize também, tratamento através da psicoterapia para buscar os problemas e ameaças originais para a erradicação do problema.
      Existem também outros tratamentos que podem ser buscados pois tem resultados confiáveis, tais como tratamento Homeopático, através das modalidades da Medicina Tradicional Chinesa: Acupuntura, Moxa, massagens e meditação. Por exemplo, tenho acompanhado muitos pacientes portadores de distúrbios dos medos que se trataram também com a acupuntura e a homeopatia com resultados importantes e estimulantes. Observo, também, que técnicas psicoterapêuticas que se utilizam de técnicas regressivas e do uso de estados alterados de consciência, tem obtido ótimos resultados no entendimento das ameaças e do equilíbrio em seu enfrentamento.
      Quanto à suas perguntas finais, não temos como precisar a duração de um tratamento dos transtornos da ansiedade. Pode-se afirmar que, no mínimo, os tratamentos são de longa duração, requerendo paciência e persistência.
      Dado sua complexidade do assunto, ofereço a possibilidade de conversarmos pessoalmente (sem compromissos), sobretudo se minhas colocações acima não foram satisfatórias.
      Telefone do consultório de Moema: (11) 3459-8322.
      Obrigado
      Léo Baroni

    2. Olá Viviane, tive muitos problemas tb c/ o estômago, tive crise de ansiedade (pânico), estou tratando c/ um psiquiatra já fazem uns 03 anos, como os ansiolíticos agem dependendo da resposta de cada pessoa, acabei experimentando alguns (foram poucos, uns 03), mas encontramos um que se chama ANSITEC (há diversas dosagens (mg)), este remédio foi milagroso em relação as dores que sentia no estômago, hj não sinto nenhuma dor, mesmo passando por situações de stress. Faço um check-up anual tb, mas junto, faço sessões c/ uma psicologa, no qual tratamos de problemas vividos ou presentes. Qdo começou achava que os sintomas nunca iriam passar, mas passou, graças a DEUS e aos médicos, boa sorte.

  28. Boa tarde Léo,tenho depresão,tristeza profunda,tenho profunda perda de memoria,não durmo sem remedio, choro todos os dias sem motivo,sou motorista de ônibus convencional sem cobrador saio do jardim alvorada até o metro luz,estou afastada do trabalho a 3 anos. Os medicamentos que tomo são buspirona,amitriptilina 25,mg 3 comp.pela noite,diazepam 10,mg 1 a noite ,aradois 100,mg 1pela manhã,estou tomando puran t4 50,mcg faz 15 dias que estou tomando este medicamento.A minha ansiedade eu desconto no cigarro 2 masso por dia.Estou afastada pelo juiz federal, ele esta pedindo para a empresa,me mudar de funsão fui fazer uma pericia no inss dia 09/01/2012 ,No prosseso o juiz pede se a empresa não mudar de funsão o inss é obrigado a me aposentar.estou no caminho certo? Muito obrigada espero sua resposta.Daisy.

    1. Daisy,
      sim, você está no caminho certo, continue nesta estratégia de tratamento. Recomendo que inicie um tratamento em psicoterapia, para poder descobrir e lidar com a origem e os significados psicológicos da sua ansiedade.
      Léo

  29. Oi dr. Leo , a 1 ano atras tive minha primeira crise de anciedade ficava dias sem dormi,e quando deitava na cama me dava um desespero orivel e chorava deseperadamente sentia vontade de mata érra orivel. ai procurei um medico psiquiatra éa disse q éra crise de anciedade me passou sertralina , comesei a tomar o medicamento ,mas de vez em quando me dava umas crizes , parecia q eu tava num mundo paralélo sabe! pensamenos Obsesivos , tenho até hoje é q minha mãe tem esquizofrenia descobrimos a 2 anos , e minha infancia foi bem dificil pq éla erra alcoolotra tanbem . E eu tenho um medo terrivel de ter essa doença tanbem e fica igual éla ,eu não parro de pensa nisso ai comeso fica nervosa anciosa é orrivel essse medo de ter o mesmo problema . eu passo na psicologa éla ta me ajudando aseita esse problema da minha mãe . Mas esses pensamentos não me deixa em paz , é um medo q eu não consigo esplica . Serra que o medicamento q eu to tomando não ta fazendo mas efeito sei lá , serra que é anciedade mesmo o q eu tenho . Espero resposta Obrigadaa .

    1. Jéssica, boa tarde.
      Você está fazendo o tratamento correto, toma a medicação indicada pelo psiquiatra e faz sessões de psicoterapia com a psicóloga. Todos os tratamentos para os sintomas que apresenta são demorados e requerem persistência. Porém, você pode ajudar-se neste seu tratamento, por exemplo, escrevendo em um caderno o diário dos seus sintomas: exemplo, quando os sintomas surgem, quando melhoram ou pioram, o que faz você se sentir melhor ou pior, os horários que as modificações ocorrem, etc. Estas informações serão úteis ao seu psiquiatra durante seu acompanhamento clínico e na prescrição da medicação necessária. Em sua terapia, junto com sua psicóloga, você pode focar sua investigação na descoberta dos motivos geradores de sua ansiedade. Sabemos que os medos nos protegem, você precisa compreender o porque da “intensidade de proteção” que seus medos provocam. Você tem um histórico duro e sofrido, mas parece que seus sintomas são diferentes dos apresentados pela sua mãe. Somente a postura de ter medo de ficar igual à ela, já mostra que você é diferente com sintomas diferenciados dos dela, pois apresenta discernimento e controle.
      Léo

  30. oi DR. Léo moro em joão pessoa e desde cedo tenho enormes dores de cabeça. não posso passar da hora de comer, fumaça, antes e depois da menstruação, até se acordar tarde da crises. são dores fortes no crânio pra re nuca, ou nas têmporas pra nuca. fui no neuro e ele me perguntou se eu era anciosa , eu falei q sim. então ele falou q não precisaria passar tomografia, e enjtão passou um anti depressivo chamado .Sertralina.
    DR me ajude estou com muyito medo de tomar essa medicacão, ele falou q era p combater as dores durante 2 meses irei tomar.
    um abraço.

    1. Maria Aparecida, boa noite.
      Recomendo o início imediato do uso do antidepressivo, pois ele proporcionará o bem estar que precisa. Não é necessário ter este receio, pois esta medicação não cria dependências e provoca poucos sintomas colaterais, sendo que a maioria destes sintomas desaparecem em tempo relativamente curto, contudo os benefícios poderão ser importantes.
      Caso necessite de maior segurança, busque uma segunda opinião clínica com outro médico.
      Léo

  31. BOM DIA DOUTOR, ESPERO QUE ESTEJA TUDO BEM COM O SENHOR, BEM QUANTO A MIM TENHO UM PROBLEMA COM MUITA ANSIEDADE, ANGÚSTIA, INSEGURANÇA E PESSIMISMO, ISSO TEM ME LEVADO A PENSAMENTOS QUE NÃO ACEITO COMO POR EXEMPLO O DE SUICÍDIO ISSO TEM ME INCOMODADO, NÃO GOSTO DE PENSAR E NEM DE TER TENDÊNCIA AO SUICÍDIO, GOSTARIA DE SABER ONDE ENCONTRO GRUPOS DE APOIO OU SE POSSO FALAR COM O SENHOR E TIRAR DÚVIDAS, TENHO MUITO O QUE VIVER AQUI NA TERRA MEUS PLANOS DE VIDA ESTÃO APENAS COMEÇANDO E NÃO QUERO ENCERRAR MINHA VIDA DESTA FORMA, AGRADEÇO ATENÇÃO E SE POSSIVEL AGUARDO RESPOSTA. ABRAÇO E SUCESSO!!!

  32. Ola Dr Léo.
    gostaria de saber o que posso fazer para poder ficar bem,de um tempo pra ca venho sentindo mto medo de morrer,medor de dormiri e não acordar tenho filhos e costumo falar tudo como se eles não fossem me ver ou melhor vivo cada dia como se fosse ultimo,comecei a sentir como se estivesse sufocando,as pernas parecem q vão adormecerfic em estado de alerta,fico aguniada em local cm muita gente,tenho medo de ficar so em casa,por que o tempo quase tdo fico achando q vou passar mau,quando ouço falar de alguem q teve alguma doença,começo apensar q tambem pode ser,fui a medicos e eles falam q esta tudo bem mas é horrivel ficar com essa sensaçoes e me sinto melhor guando estou com alguem o q eu devo fazer Dr ?

    1. Olá Débora,
      Pelos sintomas descritos você pode estar passando por uma intensa crise de ansiedade. O melhor é procurar um psiquiatra o mais rápido possível, pois se foram descartados os fatores físicos que poderiam causar tais sintomas, estes são provenientes de problemas psíquicos e relacionais. Após a intervenção clínica do problema, procure desenvolver uma psicoterapia da fala, para poder encontrar motivos e soluções para os mesmos.
      Caso queira conversar pessoalmente, procure-me e marque uma consulta sem compromissos. (11- 3459-8322).
      Obrigado, Léo

    1. Olá Emanuely.
      Iniciar um tratamento imediatamente.
      Procure por médicos psiquiatras e por psicoterapeutas para que possa ter visão das condutas que poderá utilizar e vencer sua ansiedade. Caso queira conversar, marque um horário, sem compromissos, talvez assim eu possa ajudar na sua busca. obrigado, Léo

  33. Olá meu nome é jussara,tive uma crise de ansiedade á 5 meses então passei com psiquiatra e ele passou remédios que eu não tomei e ela disse que eu tenho ansiedade, as vazes tenho vários sintomas que são chatos o que posso fazer para me sentir melhor?

    1. Oi Jussara.
      Aconselho primeiramente, a tomar a medicação prescrita pela psiquiatra pois lhe tirara todos os sintomas desagradáveis da ansiedade. Depois, procure uma terapia para entender e resolver os motivos e significados da ansiedade. A ansiedade e uma característica comportamental humana que tem a função de nos deixar alerta e ativo para enfrentamento de perigos e ameaças. Este e o motivo principal da necessidade de tratamentos psicotetapeuticos investigatorios. Leo

  34. Oi Dr Léo, estou lendo os comentários acima e estou imprecionada, pois sinto muitas coisas como foram faladas, eu sinto muitas tonturas , vertigens , fui a varios medicos eles dizem que não tenho nada, bom a otorrino disse que é labirintite, mas não pode ser pois sinto de vez em quando muito medo de morrer de ter uma doença grave, ja tive em alguns lugares muita tontura , uma insegurança terrivel como se eu fosse cair, sei la é horrivel. Nãó sei o que fazer , quero procurar um psiquiatra mas na hora de ir para a consulta me dá medo, e acabo não indo, sou prafessoar , tenho filho s pequenos que precisam muito de mim mas eu preciso me curar , por favor me fale como posso me livrar de tanta pertubação pois é assim que meu marido se refere a tudo que eu sinto. ME AJUDE!

    1. Olá Eva,
      procure superar os medos e visite um psiquiatra. Muitas vezes, somente em se obter um diagnóstico e tratamento adequados aos males que se sente a muito (e que não foram compreendidos), obtêm-se paz e condições de ações para vencê-los.
      Caso necessite, marque uma consulta comigo, sem ônus ou obrigações, para discutirmos o assunto com maior profundidade e propriedade. (11- 3459-8322- Moema; ou 11- 4125-2513- São Bernardo do Campo).
      Obrigado, Léo.

  35. Oi dr.Leo.estou querendo me forma em psicologia pois tenho grande desejo de ajudar estas pessoas.So de ver alguns comentarios vejo a importancia da nossa profissão(ou melhor da nossa missão).Minha mãe ja passou por um transtorno mental,onde ela tinha sensação de q as pessoas estavam seguindo ela,ela voltou ao passado achando q era uma adolecente,achava q seus finados familiares tinha retornado a vida,super nervosa ao ponto de agredir n so nas palavras mas fisicamente tambem,a noite n deixava niguem dormi pois gritava q estava morrendo praticamente todas as noites;houve momentos q teve perda da memoria onde n se lembrava de algumas pessoas q estava por perto.
    Perbi q n basta somente ajuda medica,basta tambem a ajuda de familiares com atençao,dedicação,pois tudo é um complemento.È claro q a casos e casos,MAS POSSO DIZER Q HOUVE UM RESULTADO REFERENTE AO CASO DA MINHA MAE.COm ajuda de DEUS e na fe racional q ouve em mim insitentemente; consegimos superarmos e lutamos contra a propria esperança.SEi q nesta profissão não devemos icluir religião + como o sra.dr.Leo falou DEUS N FAZ NADA S/A PARTICIPAÇÂO DO SER HUMANO. Houve ajuda de DEUS+FÈ+FAMILIARES+PSCOLOGOS E PSQUIATRAS=ao resultado aomejado.Q deus abençoe a todos vcs. JACKELINE REIS

  36. Oi dr.Leo.estou querendo me forma em psicologia pois tenho grande desejo de ajudar estas pessoas.So de ver alguns comentarios vejo a importancia da nossa profissão(ou melhor da nossa missão).Minha mãe ja passou por um transtorno mental,onde ela tinha sensação de q as pessoas estavam seguindo ela,ela voltou ao passado achando q era uma adolecente,achava q seus finados familiares tinha retornado a vida,super nervosa ao ponto de agredir n so nas palavras mas fisicamente tambem,a noite n deixava niguem dormi pois gritava q estava morrendo praticamente todas as noites;houve momentos q teve perda da memoria onde n se lembrava de algumas pessoas q estava por perto.
    Perbi q n basta somente ajuda medica,basta tambem a ajuda de familiares com atençao,dedicação,pois tudo é um complemento.È claro q a casos e casos,MAS POSSO DIZER Q HOUVE UM RESULTADO REFERENTE AO CASO DA MINHA MAE.COm ajuda de DEUS e na fe racional q ouve em mim insitentemente; consegimos superação
    e lutamos contra a propria esperança.SEi q nesta profissão não devemos icluir religião + como o sra.dr.Leo falou DEUS N FAZ NADA S/A PARTICIPAÇÂO DO SER HUMANO. Houve ajuda de DEUS+FÈ+FAMILIARES+PSCOLOGOS E PSQUIATRAS=ao resultado aomejado.Q deus abençoe a todos vcs. JACKELINE REIS

    1. Willian Moreira/JACKELINE REIS, boa noite.
      Me sinto afortunado com este seu depoimento, pois ilustra com fatos os propósitos das minhas investigações e reflexões. Sua experiência oferece maturidade na percepção de que somente com um trabalho multidisciplinar pode-se oferecer instrumentos seguros para o entendimento e vencimento da depressão, dos transtornos de ansiedade e de outras manifestações que insisto traduzi-las como “doença moral” e não como doença mental.
      Compartilho com sua reflexão de que o profissional da psicologia (e das áreas da saúde como um todo) opera em uma missão, e acrescento que para que esta missão seja autêntica, o profissional necessita, primeiramente, cuidar de “si mesmo”. Somente através do conhecimento de si mesmo, se é possível desbravar e entender o universo que o outro se manifesta e clama por ajuda, com o mínimo de contaminações pessoais possíveis, sobretudo das crenças pessoais, preservando a distinção do universo que o outro apresenta. Recomendo a leitura do livro “EU e TU” de Martim Buber. Este livro foi uma das leituras fundamentais na edificação do meu alicerce profissional. Entendo que a relação (psicoterapêutica) é alcançada através do amor, amor este que edifica a si mesmo e ao outro que se manifesta na relação, amor que antes de me pertencer, é a manifestação do “divino” nos encontros.
      Este livro poderá ser o início de sua jornada em resolver o se paradoxo: Coexistência do profissional de psicologia com suas convicções obtidas pela ciência, das obtidas através de suas crenças religiosas, sem que haja traição à autenticidade e à liberdade.
      Léo Baroni

  37. ola tudo bem nao consigo dormi a noite o medico disse que tenho sindromi do panico e assiedade eu passei no pisquiatra mais o remedio tava me dando reaçao de suicidio ai que eu nao dormia mesmo com medo ai nao tomei mais ai agora eu nem sei mais o nome do remedio acho que tenho que ir la nenovo mais tenho medo de toma denovo e ma da reaçao meu coraçao asselerava demais ficava mais tonta o que fazer dortor agora estou cadavez piorando mais passo muito dervoso com as criança adolecentes tenho dois filhos e uma enteada nossa passo cada uma eu fico quardado raiva to precisando de ajuda o medico de posto me passou acalmil é bom abraço

    1. Oi Juliana,
      Como já escrevi em outros comentários, nem sempre se consegue prescrever a medicação mais adequada a cada uma das pessoas. É necessário efetivação do acompanhamento, com o retorno sucessivo às consultas, para adequação das substâncias, dosagem e combinação à cada caso..
      Insista em buscar um profissional que venha a melhor atendê-la. Logo que possível, inicie uma psicoterapia para poder entender e lidar com os sintomas que vivencias. Abraços, Léo

  38. Olá Léo tudo bem? Tenho 23 anos de idade e me sinto muito ansioso. Minhas crises começaram já faz um tempo, minha respiração fica ofegante, meu coração bate forte e rápido, minhas mãos suam demais e sinto muita tontura quando vou caminhar. Já realizei exames de sangue em geral, coração e cérebro e nada foi detectado graças a Deus. As vezes me sinto muito cansado e problemas em fazer atividades que antes fazia sem nenhum problema. Não consigo ir mais ao trabalho de transporte público. Tenho medo de ter um ataque de coração, muito medo de ir ao médico e medo de liar com coisas novas da vida. Já fui em algumas sessões com um psicologa e recentemente marquei consulta com um psiquiatra. Mais o que realmente quero mesmo é poder superar esse transtorno sem remédios, será isso possível? Forte abraço

    1. Oi Rodrigo,
      Você relatou sintomas específicos de crises de ansiedade e pânico. O Tratamento medicamentoso é importante para se obter conforto no tratamento. Você pode optar em buscar tratamentos alternativos, tais como homeopatia, acupuntura e fitoterapia, tanto a Brasileira como a Chinesa. Porém, se estiver com a medicação psiquiátrica, opte pela mudança gradativa e acompanhada por profissionais competentes. Tenho acompanhado muitos pacientes com os mesmos sintomas e que se tratam com estes segmentos da saúde que relatei, além das sessões de psicoterapia. Obrigado.

  39. Boa Noite.
    ref. anciedade,tem horas que estou bem tem hora que me dá tonturas e não tenho vontade de trabalhar devido a tontura e o medo que não permite a chegar ao meu destino quando ando com alguem do meu lado no carro e vou tranquilo,se estou sozinho me dá uma serie de coias,será que isso é normal.

    1. Maurício, Boa noite.
      Estes são sintomas que caracterizam transtornos da ansiedade. Busque profissionais competentes para te auxiliar na sua luta contar a mesma. Procure primeiramente um psiquiatra ou homeopata e um psicólogo para início de sua jornada para vencer as crises. Obrigado

  40. obrigada pela dica. vc acredita que descobri que estou gravida passei esses dia no psiquiatra e disse que tenho ansiedade e sindromi do panico agora o que fazer se sinto tanta falta de ar medo de sair de casa agora penso que meu bebe nao esta bem devido a minhas crises estou de dois meses sera que posso toma remedio nao vai prejudica meu bebe qual o melhor remedio os antideprecivo os ansioliticos e que nao causa depedencia ja fiquei sabendo que o fluoxetina é bom é verdade e ele nao causa depedencia beijos obrigada por responder minhas pergunta.abraço

    1. Oi Juliana.
      Normalmente as mulheres conseguem obter um grande equilíbrio mental e emocional durante a gravidez, mas somente os médicos poderão dizer se a medicação deve ser retirada ou não. Faça um acompanhamento mais frequente com o seu médico. Parabéns pela gravidez. Obrigado

  41. Olá Dr. Venho já uns 2 anos desenvolvendo um quadro de medo e fobia quando estou perto dos meus superiores e colegas de trabalho na empresa, acredito devido a um trauma de ter sido desligada de uma multinacional ha uns 4 anos atras, por motivos banais, interrompendo assim as minhas atividades do dia dia como faculdade e afins por motivos do dinheiro estar curto. Após este episodio, nao consigo me relacionar naturalmente com as pessoas … da a impressao que tds me ameaçam, me dinot cercada, exceto minha familia … O que pode ser isso? Vc pode me indicar um tratameto mais imediato … tenho medo de perder o emprego or conta disso.

    1. Oi Maria Fernanda,
      Procure-me, sem compromissos, para podermos falar com mais tempo e propriedade sobre seu quadro fóbico. Podermos fazer algumas sessões de regressão no processo terapêutico. fone: (11) 3459-8322. Léo

  42. Caro Léo, acabeide vir de um psiquiatra, ao qual relatei minha trajetória de vida de 41 anos, onde por períodos aproximados de 2 anos, mudo de vida radicalmente, prejudicando minha vida como um todo. O mesmo me considerou inteligentíssimo, por tantas atividades diferentes. Ao lhe falar que tenho dificuldades de de pagar em dia (tendo o dinheiro) de fazer coisas (sabendo fazer), e mais outras coisas. Depois falei da sensasão que sinto quando vou tomar alguma decisão ou mesmo pagar uma simples conta, ou mesmo de minha falta de peso na conciência de não pagar a conta (minha moto está dois anos atrasada, eu tenho o dinheiro para pagar, mas não consigo resolver) o que chamei de ansiedade… ele me disse que ansiedade é só quando agente quer fazer o mais rápido possível. O fato é que ele nem apertou miha mão, disse que em 36 anos de profissão nunca viu uma caso assim e me dispensou. Daí fui numa farmácia e comprei Acalmil, na esperança de resolver alguma coisa do que vejo acontecer em minha vida a tanto tempo.
    Se um psiquiatra não identificou meu caso, talvez só o chapolim colorado. agradeço a atençâo. Legal seu bog.
    DDmicio

    1. Domício, boa noite.
      Insista em buscar um profissional que venha a atendê-lo adequadamente e com competência.
      Infelizmente você não teve sorte nesta sua primeira procura. O tormento por que passa em seu quadro de ansiedades justifica qualquer persistência.
      Contudo, não busque somente o tratamento medicamentoso, além de prováveis desequilíbrios dos neurotransmissores, seus sintomas são decorrentes de processos vivenciais que necessitam serem entendidos para serem erradicados ou mudados. Sugiro a busca de uma terapia da fala, tanto através da Terapia Psicológica, ou através da Terapia da Filosofia Clínica. Me coloco a disposição no caso de querer discutir o assunto com mais profundidade.
      Léo

  43. Boa tarde doutor passei por uma mudança muito grande na minha vida,casei a seis meses e fiquei com meu esposo so tres meses.Sou de minas e meu esposo arrumou um serviço em sp,tive que sair do serviço,estou deixando minha mae e minhas irmas a qual sou muito agarrada com elas e estou indo embora com meu esposo.Para min é uma mudança muito grande ,com mais ou menos uma semana que ele foi , embora comecei a passar mal todos falavam que era depresao,mais nao queria acreditar nisso…..sou muito anciosa devido o serviço dei tendinite e sinto muita dificuldade de mecher com as maos,sinto fraqueza nos braços e estou convivendo com isso. Estou pensando que isso é coisa da cabeça nao quero ficar sozinha e estou evitando sair de casa pois tenho medo de passar mal.O que pode ser doutor me ajude.Estou tomando remedio antepressivo

    1. Érica, boa noite
      Você está passando por um período de vida muito estressante, situação que por si só justifica todos os sintomas que vem sentindo.
      Mas para se obter um diagnóstico, é necessário uma consulta médica com um psiquiatra, conduta esta que recomendo a ser feito imediatamente.
      Obrigado,
      Léo

  44. Tive uma gravidez conturbada,quebrei o pé,tive crises de choro,solidão .abandono,minha filha ,nasceu,nesse clima de briga,e perdi meu filho de 24 anos quando ela tinha 6 anos,ele morreu de emangioma de mediastino,mesmo operando tratando,embolizando,tive tristeza,me embebedei muitas vezes,ela assistiu a tudo,fui morar em portugal,la ela sofreu co falta de dinheiro,viu brigas ,discissões com minha filha mais velha,casei co um jovem de 25 anos,ela não gostou,deixei ela morando com airmã,a policia invadiu a casa 2 vezes,levando o marido da minha filha preso por recipitação,me separei e viemos morar no Brasil,ela acha que tem que ter casa arrumada,roupas de marca,carro perfeito,não entende as dificuldades,tem crise de choro,se acha feia,apesar de todo a acharem bonita,arrumo a casa ,mas quando trabalho,não tenho tempo ela reclama,diz q a roupa fica suja,tenho q colocar oculos e não deixar ne, uma nodoa,por mais que se faça ela não é feliz,tem vontade de se matar,ela é tudo para mim o senhor pode trata la?

  45. bom dia ,1 vez que entro nessa pagina ,e preciso de umas orientaçôes ,estou passando por uma fase critica na saúde ,seria muito extenso descrever passo a passo o que estou passando nestes ultimos 9 anos ,vou tentar colocar a dificuldade atual,sou hipertenciva,tenho transtorno bipolar afetivo cid F31.2 tomo medicamentos psiquiatricos para dormir ,levantar e passar o dia estavel.tive febre reumatica aos 13 anos que me levou a muita medicação ate 21 anos , já estou com a parte cardiaca estavel, mas requer acompanhamento semestral, acabei fazer uma cirurfia de desvio de septo sinuoso com mais duas complicaçoes ,estou na fase da recuperação,ao fazer oos exames para essa cirurgia o otorrino descobruio que estou com estreitamento de traqueia(logo descobrimos instituto do sono apneias frequentes frequencia 8.1 p hora , (total 59 em 6 horas de sono com 41 interrupçoes),todo esse processo para fazer a oitava cirurgia abdominal de hernia hiato e paraesófagica,com um ponnto solto da ultima cirurgia de hernia intestinal onde foi colocado uma tela e se rompeu um ponto, estou a uns dois meses de repouso com constantes hernias de disco que estão dificultando os joelhos para andar . meu peso correto para uma mulher de 1me55cm de altura era de 55 a58 maximo, depois de todas essas medicaçoes , pressão ,mente,e para o estomago ,e outras patologias que aparecem estou com 82 kg , sem possibilidade de fazer exercicios há dois anos por ordem médica,só com controle alimentar . e repouso + alta taxa de ansiedade ,já deveria ter operado estomago ,mas o gastro esta apreenciso ,não sei se é pela complicação porque ele me acompanha já a dez anos fazendo cirurgia de hernias , e agota tanto o cardiologista e o otorrino acham que deveria fazer uma bariatrica , para acabar com essas operaçoes de hernia todo ano. estou comfusa , quanto a tomar decizões ,o que o dr. aconselha se é de deu perceber a avalanche que virou,?

    1. Raquel.
      Seu caso é muito extenso a ponto de ser uma atitude leviana querer tecer qualquer comentário neste fórum, com as informações parciais que se apresentam. Caso esteja de acordo, venha ao meu consultório para conversarmos sobre todo o quadro que você apresenta, sem compromissos. fone: (11) 3459-8322. Obrigado

  46. Dr.léo Baroni , liguei para seu consultório na sexta (8)junho.Fui muito bem recepcionada pela Laine ,que mencionou a localização do consultório,e como não dirijo mais devido aos remédios e a constante sonolência fica difícil de imediato tomar uma iniciativa para marcar uma consulta ,moro em Osasco /sp ,não está no momento sendo propicio ir sozinha e de metro,e como tenho já muitas consultas e exames sendo realizados e dependo de alguém para me levar de carro quando a distancia é extensa ,não que eu não tenha ,mas meu marido e filha trabalham (a propósito ela terminou psicologia o ano passado) mas como ela mesmo diz :ela como filha não pode me avaliar ;passo em uma psiquiatra em Santa Cecilia ,desde que o T.A.B. começou aos 40 anos ,minha inclinação na mania (agitada,emoção é de curta duração influenciando nas expetativas de vida ,causando apetite,falta atenção e concentração,falha memoria DRa.diz que está espacial,pessimismo,impulsividade aliada a uma altíssima ansiedade. Já na faze depressiva :fico com muito sono,desânimo,tristeza,solidão,medo,fobia social(aumenta perda da memória)ansiedade ,insuficiência,inutilidade,me fazem entrar em crise quando não consigo me medicar em tempo de adormecer rapidamente tenho tendências a suicídio,o que já me levou a ficar internada uma vez em um hospital psiquiátrico por uns 20 ou mais dias .atualmente tenho controlado as crises , ou me medicado com mais antecedência ,estou melhorando no disfarce (não posso tomar o lítio, tomei no lugar o topiramato ,mas como se estendeu por muito tempo ,estava causando mita dispersão na memoria ,não estou tomando nada para humor ,o que está péssimo.Mais isso tudo é um só fato (um lado das preocupações) o que está mais difícil agora é controlar a ansiedade e o medo da falta prognóstico da cirurgia estomago, parece que dá as pessoas que estão a minha volta que estou preguiçosa e desatenta , enquanto que estou muito preocupada em estar dessa forma e me sentir ausente das pessoas mesmo estando presente .mas já nem sei porque estou escrevendo tudo isso se o sr. nem pode ajudar , precisava ir agora e não me é possível ,nem tenho mais certeza de que saio dessa cirurgia . até já doei Minha labradora Flora que eu tanto amo ,de medo de não voltar e a família desfazer dela de qualquer jeito .Sinto muito a falta dela ( foi para um fazendeiro em caarapós em mato grosso do sul .bom dia para o sr. e desculpe por escrever tanto.,bom fim de semana.

  47. Bom dia Dr.
    Já faz mais ou menos cinco anos que comecei a sentir Taquicardia, dores do peito, e parece que o coração dá umas batidas mais fortes e sinto falta de ar,isso tudo começou a ocorrer depois que eu parei de trabalhar, já fiz todos os exames com Cardiologista e Graças a Deus eles dão todos normais, já troquei de Cardiologistas também mas todos dizem a mesma coisa que os exames estão normais, mas porém os sintomas continuam, tenho a sensação que vou morrer com algum problema no coração, isso está me afetando pois não consigo mais fazer planos para o futuro que tipo de tratamento devo fazer? Isso pode ser Transtorno de ansiedade? Desde já agradeço.

    1. Kelly, boa tarde.
      Sim, seus sintomas podem ser decorrentes da ansiedade e de estados depressivos. Como são crônicos, dado o tempo de existência dos sintomas, o melhor seria procurar um psiquiatra para obter diagnostico e prescrição de medicamentos adequados. Isso lhe dará o conforto que precisa de imediato. Recomendo também, iniciar uma psicoterapia para poder encontrar a origem do problema e erradicá-lo. Coloco-me a disposição para conversarmos, sem compromissos. (11) 3459-8322.
      Obrigado

  48. Ola Dr. Léo Baroni.
    A dois anos tive uma crise de Claustofobia dentro de um avião.
    E depois disso nào tive mais coragem de fazer uma viagem de avião.
    Pego elevador, mas tenho muito medo de ficar preso.
    Gostaria de saber se vc tem experiência neste tipo de tratamento.
    Obrigado

  49. Dr Léo,tinha um grande sonho em fazer o mestrado,agora que conseguir estou com dores fortes na coluna e nos joelhos,muitas vezes me impossibilantando de realizar qualquer atividade.Me sinto desanimada,muitas vezes querendo desistir de tudo,em relação ao mestrado tem muitas pessoas envolvidas.Então fico muito anciosa com tudo o que esta acontecendo,não sei o que fazer.Estou me sentindo deprimida e sem ânimo.

    1. Maria, bom dia.
      Parece que o desânimo e medos que sente são decorrentes das suas dores intensas, assim todo o quadro depressivo e ansioso podem ser considerados secundários. Como também sou especialista em acupuntura, proponho que venha ao meu consultório para uma avaliação diagnóstica. Aguardo seu agendamento. (11) 34598322

  50. ola´ Dr leo sempre peguei trem para ir ao trabalho de uns tempos para ka´ estou passando mal ao entrar no trem ,sempre no mesmo trecho entre as mesmas estaçoes,as pernas começam a tremer e ter palpitaçoes e me da uma angustia ,isso pode ser sindrome do panico.
    Dai saio do trem e tudo passa ,estou passando com psicologo ate agora nao vi resultado.Isso pode ser sindrome do pânico.Espero que possa me ajudar Obrigado e tenha uma boa noite.

    1. Anderson, boa tarde,
      Os sintomas que apresenta são de pânico, porém, parecem pertencer a um quadro de Fobia.
      Recomendo que além da psicoterapia, procure um psiquiatra para, se necessário, fazer também um tratamento medicamentoso.
      As fobias se caracterizam por conterem ameaças concretas. Procure identificar no seu processo terapêutico as ameaças que podem estar representadas nestas viagens.
      Caso queira se aprofundar neste raciocínio, me procure para conversarmos com mais cuidado e vagar. (11) 3459-8322.
      Obrigado

  51. Obrigado Dr,queria saber se isso e grave e o que esta ocasiano isso estou passando por um momento muito conturbado tanto no casamento quanto no trabalho,rescentimente pa
    ssei por uma desilusao no trabalho muito grande isso pode ter alguma influencia ou nao.
    Ja no casamento estao tendo muitas entrigas ,sou uma pessoa muito fechada isto e ruim guardo as coisas comigo eo psicologo falou isso que tanto pediu para aumentar as seçoes.
    obrigado, e tenha uma boa tarde.

  52. Dr, li alguns desses depoimentos, muito bacana podermos dirar algumas duvidas com você, eu tenho Sindrome do panico, no momento estou passando por uma recaida, e acabo me lembrando de como é ruim passar por isso, mas o pior é que nesses momentos esqueço de como combater, ou seja tentar me destrair ou tirar o foco para outra coisa… mas como é dificil, mas como muito sou forte, só tomo remedio em ultima instancia, gostaria de saber qual é a melhor maneira para li dar no dia a dia com esse problema, ou qual o melhor tratamento? pois nunca fiz nenhum tratamento psicologico por muito tempo, só fiz no inicio um tratamento com um psiquiatra, já tenho essa cindrome desde 2002 ou seja já convivo com isso a mas de 10 anos, apos sofrer um tiro no peito num assalto. mas em alguns momentos fico muito mal, acabo me fechando e não consigo ser eu mesmo, pareço ser outra pessoa e a impressão que tenho é que estou no meu corpo, mas ausente…srsrs, e isso me frusta muito. sou descontraido alegre divertido, brincalhão, mas quando estou nesses recaidas me travo não consigo me soltar fico tenso retraido e não consigo relaxar e nem dar o meu melhor em casa e nem no trabalho…. e com isso acabo me cobrando muito devido essa minha ausencia em casa e no trabalho por ser mas ativo. o que faço?

    1. Fábio, boa noite.
      É penoso e desconfortante e muitas vezes decepcionante sentir sintomas intensos e desconcertantes que de alguma forma estavam sob controle. Mas. como os medos existem para a sua proteção, é importante procurar identificar as ameaças, novas ou não, que desencadeiam tais sintomas. Por outro lado, você foi vítima de uma violência desmedida, o que pode ter desencadeado sintomas e comportamentos característicos da síndrome de ‘Estresse Pós-Traumático”.
      Recomendo voltar a se consultar com o psiquiatra para retornar ao tratamento medicamentoso e iniciar uma psicoterapia.
      Proponho que você me procure, sem compromissos, para conversarmos com maior profundidade sobre o mal que insiste em te acompanhar e encontrarmos estratégia de tratamento. Aguardo seu agendamento. fone: (11) 3459-8322.
      Obrigado
      Léo

  53. Olá bom dia, sou uma pessoa muita ansiosa e com muitos medos, profissionais, pessoais, etc, e isso reflete em meu cotidiano, minha vida profissional ´já se acabou há 3 anos e parece que algo me prende em me resolver profissionalmente, pois a medida que algo está pra se concretizar tenho medo de encarar e me frustrar e então coloco tudo por agua abaixo, minha saúde é prejudicada pois sou muito ansiosa e isso me custou uma gastrite crônica, gostaria de fazer algumas sessões de terapia e em primeiro lugar gostaria de vencer esse medos e anseios, será que conseguirei com as sessões, e será que terei que fazer muitas,mais ou menos vc tem uma noção de quantas geralmente são feitas, obrigada e aguardo retorno…Elaine

    1. Elaine
      bom dia
      A psicoterapia pode realmente te ajudar a encontrar os motivos e significados que geram seus medos e ansiedades, bem como em desenvolver ferramentas para superá-los. O tempo e número de sessões necessárias, sempre serão uma incógnita; sua ansiedade é crônica, se manifestando durante um longo período de tempo, com grande intensidade. Este quadro sugere um tratamento de longo prazo, mas mesmo assim é impossível afirmar.
      Marque uma consulta de avaliação, sem compromissos, assim poderemos analisar com mais profundidade. Consultório em Moema: (11) 3459-8322. Consultório São Bernardo do Campo: (11) 4125-2513.

  54. obrigado doutor por me tirar todas as minhas duvidas pois tenho sofrido muito com medo de tudo muitas coisas aconteceu uma delas fui estrupada e fiquei durante muitos anos sofrendo calada nunca fis um tratamento eu estou a mais de treis meses sem lavar o cabelo estou com trauma de ir no salao pois a ultima veis que fui 0 chuveiro estorou e passei muito mal agora estou muito mal mesmo por que tenho cabelos brancos desde muito jovem e agora estou mais triste com alta estima lem baixo so ando de boina pois tenho vergonha parece que todos estao falando de mim; as veses me dar vontade de desistir de tudo pois alem disso sou alejica a varios remedios e anestesias estou perdendo os meus dentes por que neim um dentista quer mexer nos meus dentes eles medo de ter algum problema gostaria muito de conceguir um medico piscologo mais nao concigo pois nunca tem vaga e eu estou morrendo aos poucos pois cuase nao durmo me ajuda por favor desculpe os erros ja estou chorando e nao comcigo escrever direito me ajuda toutor leo obrigadosampaio

    1. Fátima.
      Antes de qualquer iniciativa terapêutica, procure um psiquiatra para iniciar um tratamento medicamentoso. Você está apresentando uma disfunção grave e que necessita do acompanhamento deste profissional. Depois de 3 meses que iniciar o tratamento psiquiátrico, me procure para que possamos pensar uma alternativa de tratamento psicoterapêutico para você. Obrigado

  55. Estou passando por um período muito critico, mas não é a primeira vez, sempre que ser apresenta uma situação assim, enfrento com brava coragem e muita Fé, logo vou vencendo e tudo ser normalizando, mas temos que ter controle, sobre nossas emoções e muita fé em DEUS, Dr. gostaria de ter seu e-mail. Por gentileza. Obrigada.Fátima

  56. Ola Doutor,tenho passado por crises tenho ataque de pãnico e trantorno de ansiedade tenho medo do fim do mundo,que algo ruim aconteça com meus filhos e esposo,iniciei tratamento de canal a8 meses e nao voltei pra fechar tive crise na cadeira da dentista e agora descobri uma pedra na visicula e tõ com medo da cirurgia acho que vou morrer,ja tomei sertralina e por ultimo sulpirida,começei terapia mas parei qndo minha filha nasceu,as vzes chego implorar que meu esposo fique em casa mas ele ñ pode tô sofrendo com isso pois ñ quero tomar remédio controlado por atrapalhar minha intimidade digamos assim.Por favor Doutor me ajude moro no PR

    1. Marli,
      Seria muito importante você retomar o tratamento através do seu psiquiatra. Os remédios para tratamento da depressão e transtornos de ansiedade, geralmente inibem a libido, porém existem alguns que quase não apresentam este efeito. Fale com seu psiquiatra. Converse muito com seu marido, e procurem aumentar as preliminares, estas auxiliam no alcance do orgasmo e dos prazeres a dois.
      Depois, procure outros tratamentos, assisti inúmeros pacientes que escolheram a homeopatia, a fitoterapia, a fitoterapia chinesa e a acupuntura como substituto ao tratamento tradicional. Recomendo que isso seja feito de forma concomitante ao tratamento psiquiátrico e que a substituição seja feita aos poucos.
      Indico, por último, o início de uma psicoterapia com um profissional experiente, para que você se estruturar e tenha condições para lidar com os efeitos do meio que convive e que te ameaçam tanto.
      Obrigado
      Léo

    1. Elza, boa tarde.
      Recomendo que procure os psiquiatras da rede pública de saúde, para que possa ter um diagnóstico adequado e um tratamento através de antidepressivos.
      Depois, procure um tratamento através das faculdades de Psicologia. Elas mantém ambulatórios para tratamento psicológico da população através dos psicólogos estagiários.
      Caso tenha interesse, você também pode se tratar através da Filosofia Clínica, que também mantém um sistema de atendimento da população através de seus filosofos clínicos em formação. fone: 3337-5448.
      Como alternativa você encontrará nas faculdades que formam acupunturistas, elas também mantém ambulatórios para tratamento da população. procure a Facis , na Vila Mariana: fone: 5085-3141.
      Obrigado,
      Léo

    1. Neusa
      Procure por tratamento, através do SUS, ou dos ambulatórios de psicologia das faculdades que formam psicólogos e talvez no ambulatório da Filosofia Clínica: Rua Martinico Prado, 26- Conjunto 24 e 25, Higienópolis, São Paulo. fone: (11) 3337-5448/ 3337-0631.
      Não deixe de procurar por tratamento.
      Léo

  57. DREIA
    OLA DR
    TENHO ANSIEDADE HYA TEMPO TOMEI LORAZEPAN HA TEMPO COM Passar do tempo não tenho mais paciencia para nada no na gargantA MEDO COMEÇEI TORMA CLORIDRATO DE SERTTRALINA 3 DIAS ESTE REMEDIO ESTA ME FAZENDO MAU PRECISO MARCAR UMA CONSULTA COM UM MEDICO SERIO PARA RESOLVER ESTE PROBELMA
    AGUARDO RETORNO

    1. Andreia, boa noite
      É comum sentir efeitos colaterais quando se inicia um tratamento através de antidepressivos e ansiolíticos, normalmente estes sintomas diminuem após algumas semanas.
      Sua insistência em procurar profissionais competentes e que lhe darão condições de superar estes momentos é fundamental.
      Recomendo que não se atenha a somente tratar a ansiedade por medicamentos e que inicie um tratamento em psicoterapia.
      Obrigado
      Léo

  58. eu me encaixo em todos os comentarios ,e mais nao gosto de sai, adoro ficar sozinha em casa nao gosto de receber ningem ,tem dias que nimgem me aguenta brigo comigo mesmo ,sou irritante ,acho qe nao sou capaz de fazer nada ,nao gosto de barrulho , gosto de ficar bem quieta , adorava me arrumar ,agora tem dias que sim outros que nao

  59. Pessoal, estou fazendo tratamento contra a síndrome do pânico e ansiedade. Tive crises no metrô, dentro do elevador, altura, escadas rolantes, dirigindo em rodovia e passando em túneis.
    Passei por médico psiquiatra e estou tomando cloridrato de paroxetina.
    Este medicamento foi realmente eficaz para mim, estou diminuindo a dose.
    Meu próximo passo agora é iniciar tratamento através de acupuntura.

  60. Ola D.R TENHO CRISES DE ANSIEDADE A 3 ANOS DEIS DE QUANDO GANHEI MINHA FILHA SOFRI MUITO NO MEU PARTO MEUS SINTOMAS SAO TONTURAS CONSTANTE INSONIA AS VEZES NEM SAIO DE CASA COM MEDO DE DESMAIA NA RUA SEMPRE SAIO ACOMPANHA SINTO MEU CORAÇAO ACELERA NAO CONSIGO NEM TRABALHA TENHO MUITO MEDO DE MORRER AS VEZES A MINHA CRISE E TAO FORTE QUE TENHO QUE IR PARA O PLANTAO ,OLHA DOUTOR PROCUREI UM MEDICO PELO POSTO DE SAUDE AI ELE ME RECEITO UH MEDICAMENTO Pasalix mais esse medicamento nao adianto de nada ai passei com ele de novo e relatei isso ele disse que era pra mim continua tomando mAIS OS SINTOMAS CONTINUA NAO AGUENTO MAIS PAREI MINHA VIDA POR CAUSA DISSO ME AJUDA POR FAVOR QUERIA SABER SE EU DEVO PROCURA UH PSICOLOGO ..

  61. Oi… Andei lendo alguns depoimentos e vejo que tenho uma mistura de sintomas. Muito estresse, tontura, pés e mãos geladas ou quentes, vista turva, medos de sair de casa, caminhar sozinha, até medo de ir trabalhar e passar mal na frente das crianças, (sou professora primária). O transtorno de ansiedade já foi diagnosticado, tomo um ansiolítico e faço terapia a um ano. Mas ainda não consigo ver mudanças.Tenho hipertensão `a dois anos e já tomo medicamentos.Sinto uma adrenalina que me corrói e está sendo insuportável, sinto que estou no limite… Gostaria de sugestões de exercícios de relaxamentos diários, que pudesse fazer em casa pra ajudar no tratamento medicamentoso que já faço. Aguaro suas dicas. Ansiosamente,

    1. Oi Alzeni.
      Como descrevi nos artigos, os medos nos previnem e protegem de ameaças à nossa saúde e à nossa existência. Assim, os medos não são o problema. O ideal é buscar a gênese, origem, da ansiedade.
      O tratamento através de ansiolíticos somente minimiza os sintomas da ansiedade. Recomendo que ao voltar ao seu médico, questione-o da necessidade de se iniciar um tratamento através de antidepressivos. Na psicoterapia, procure buscar a origem dos problemas, além de treinar exercícios de respiração e relaxamentos para combater as crises quando vierem.
      O tratamento com a Acupuntura também tem se mostrado eficaz no combate da ansiedade.
      Caso queira se discutir com mais profundidade, estou a disposição. (11) 3459-8322

  62. Olá Dr
    Sou extremamente anciosa e pelo gral dessa anciedade descobri uma esofagite a medica receitou omeprasol de 40 e um tranquizante chamado vallium por 3 meses foi otimo só que quando paro de tomar fico mal do estomago e a anciedade volta agressiva me ajude tenho raiva de aos medicos de tantos exames que já fiz.
    Que terapia me recomenda e remedios tambem?

  63. olá Léo!
    um parente meu tem depressão e as vezes não sabemos o que fazer, o que posso fazer quando essas crises de medo der em minha parente?
    minha família esta um pouco chocada pois ela ficou doente do nada. e não sabemos como nos dar com o problema dela. me dê um dica por favor?

    obrigado pela atenção!!

    1. Sara.
      Caso ainda necessite, você e sua família podem marcar um encontro no meu consultório para conversarmos, sem compromissos. (11) 3459-8322
      Porém, se a crise ainda for muito intensa, a primeira atitude é consultar um psiquiatra.

  64. Boa tarde Léo, tudo bem?

    Meu marido tem um problema que não conseguimos solucionar sozinhos. Tem hora que ele esta muito bem, feliz, confiante, de repente do nada bate uma tristeza, uma depressão, chora, diz que tem medo do futuro, de como vai ser, se vai viver o tempo o suficiente para realizar tudo que planejou. Mas geralmente se fecha, desliga o celular e some.Diz que não gosta de se mostrar quando está nessa situação, não gosta de pedir ajuda e eu digo que é orgulho e que deveria sim conversar, desabafar, mas ele não consegue.Acha que vai incomodar, que não tem que dividir as frustrações dele com ninguem. Ja o levei num sindicato de psicanalise onde fui uma vez, que era o ideal para nosso poder aquisitivo, ele fez tratamento por 10 meses mais ou menos e acabou desistindo achando que a psicologa não o estava ajudando. Eu achava que ele não estava expondo abertamente os seu medos, angustias e inseguranças. Quase nos separamos muitas vezes por causa disso, eu procuro compreendê-lo e ajuda-lo até onde posso. Converso muito, incentivo, dou apoio, tem hora que nem eu tenho mais forças para continuar mas ainda estamos juntos. Estamos sem nos ver ha dois dias, ele mesmo decidiu que ia embora porque está me trazendo muito desconforto com essas atitudes dele. Ele vive fazendo isso, depois percebe que não consegue ficar longe de mim, volta se sentindo envergonhado por não desistido e voltado atrás achando que vou pensar que é um problematico. Mas nunca pensei isso, pelo contrario, fico até feliz com a volta, mas até quando vamos viver assim? Hoje conversamos por celular, não conseguimos viver longe um do outro e vamos tentar conversar mais uma vez. Estamos os dois perdidos. Quando vai ser a proxima vez que ele vai ter essa recaida?

    Existe algum lugar onde podemos ter um tratamento mais profundo, sei lá. Ou o que devo fazer para ajuda-lo? vejo que está sofrendo muito com isso.

    agradeço a atenção

    1. Sandra, boa tarde.
      O ideal é procurar um bom psiquiatra para que, através de medicações, seu marido tenha um equilíbrio bioquímico adequado.
      Depois, procure convencê-lo a procurar um tratamento psicoterapêutico. Se vocês moram em São Paulo ou no ABC, me procurem para uma consulta, sem compromissos. (11) 34598322.

      1. Bom dia Dr Léo Baroni

        Desejo um feliz 2014 cheio de muita paz e harmonia

        Agradeço pela resposta.
        Vou tentar convencê-lo a uma consulta sim. Acho que é a porta a solução dos nossos problemas, pois nos amamos muito e se continuar desse jeiro com certeza não vamos conseguir superar.

        Tenha um otimo dia

        abcs

  65. meu nome é Fernanda vitorino tenho 21 anos desde dos meus 15 anos de idade eu comecei a ter um compusividade por comida e não consigo para peso 120 quilos e 1,73 não sei mais o que fazer gostaria de saber se tem algum remédio para emagrecer que eu não precise de receita para compra por favor.

  66. Boa Tarde Dr
    Há cerca de 6 meses do nada comecei a ter medos inafundados, medo de machucar alguem, perder o controle, de enlouquecer, mas com poucas reacoes fisicas, pois me controlo, mas fico pensando nisso o tempo todo, não aguento mais, somente a psicologia pode ajudar sem remedios. Obrigada

    1. Oi Gisa.
      Você está apresentando sentimentos que sugerem uma crise aguda de ansiedade.
      Sim, a psicologia poderá de ajudar. Procure um psicólogo que você confie e inicie tratamento. Como não quer tomar medicação, você pode optar também pela acupuntura e pela homeopatia.
      Caso seja do seu interesse, procure-me para conversarmos com maior profundidade. (11) 3459-8322

  67. A ALGUM MESES ENHO SOFRENDO NO MEU SERVIÇO DEPOR DANOS MORAIS NO ULTIMO DIA 0/SOFRI DE RACISMO NA FRENTE DE VARIOS CLIENTES.ISSO ME DEIXOU COM MEDO DE SAIR PARA TRABALHAR.NÃO DURMO ESTOU NERVOSA DEMAIS ,MUDO DERREPENTE DE HUMOR .ME AFASTEI DE TODOS CISMO DE TUDO E DE TODOS .TENHO MEDO DE FICAR SOZINHA SE FICO ENTRO EM DESEPERO LIGO PARA MINHA MÃE VIR FICAR COMIGO SINTO MUITO MADO DO ANOITECER SOU ANCIOSA DEMAIS ESTOU TOMANDO O SENTRALINA HA UMA SEMANA E HAINDA COM O REMEDIO ESTOU DRMINDO MUITO

    1. Fabiana,
      Tenha um pouco de paciência, o remédio demora algumas semanas para fazer todo o seu efeito. Procure iniciar um tratamento psicoterapêutico imediatamente. Quanto aos danos sofridos em seu trabalho, aconselho procurar um advogado e discutir sua situação com o mesmo. Verifique quais direitos você tem e como solucioná-los juridicamente, se isso for o caso.

  68. Minha “secretária do lar” está com síndrome do pânico; ela é pai e mãe de um casal : filha com 17 anos e filho com 4 anos. A menina sofre de Lupus que vem se agravando, além de uma válvula artificial na cabeça por decorrência de uma queda quando pequena; o menino,, desde o nascimento, tem problemas de saúde que, só agora, parece que descobriram que o problema é refluxo. Todo o dinheiro que lhe chega às mãos é insuficiente para manter os remédios, além disso, acho que ela tomou consciência de que pode perder a filha a qualquer momento. Pergunto: – como solucionar o próprio problema se ela é a célula mater que precisa se manter firme para assegurar a manutenção dos filhos?

    1. Maria Aparecida, boa tarde.
      Recomendo que ela inicie uma psicoterapia, sobretudo com fundamentação existencial.
      Caso interesse, A Filosofia Clínica tem se mostrado eficaz em problemas como este apresentado pela sua secretária do lar.
      O Instituto Interseção- Instituto de Filosofia Clínica tem formado filósofos clínicos em São Paulo. Eles precisam de “partilhantes” que se disponham a se a obter este tratamento através dos profissionais em formação, por valores populares.
      Instituto Interseção- Instituto de Filosofia Clínica.
      Rua Martiniano Predo, 26, conj. 25, Higienópolis, São Paulo. Fones (11) 3337-0631 e 3337-5448.
      Obrigado

  69. Prezado Drº Léo Baroni, bom dia,

    Inicialmente gostaria de parabeniza-lo pelo excelente blog , onde V. Sª , presta relevantes esclarecimentos sobre os mais variados distúrbios psiquiátricos , que infelizmente trazem muito sofrimento a quem os tem , assim como eu, é uma doença que não desejo nem para o pior inimigo pelos sintomas incapacitantes e graves, que na maioria dos casos nos isolam do trabalho, convívio social , enfim… de tudo, mas , se permite , gostaria de fazer um breve relato sobre o meu problema , e ainda, que V. Sª , me orientasse de como deverei proceder para minimiza-lo, senão vejamos: Tenho SP , há muitos anos , onde ao peregrinar milhares de vezes aos prontos socorros , com sintomas cardíacos , falta de ar , taquicardia , tremores , calafrios , sensação de desmaio , finalmente , fui encaminhado a um psiquiatra , que felizmente o prognostico foi melhor do eu esperava (pois pensava que era infarto), foi pânico, desde então o médico me prescreveu sertralina 50 mg/dia e (rivotril 5 gotas/dia, mas este só por 15 dias), onde tomei durante aproximadamente 6 anos , após este período , o psiquiatra pediu para que eu suspendesse gradualmente e , após 2 meses suspendi por completo, passei aprox. 2 anos sem sintomas , mas , comecei sentir novamente , então procurei o médico onde ele me receitou novamente a sertralina 50mg/dia , mas sinto que o medicamento não esta mais fazendo o efeito que antes , reduziu a ansiedade , taquicardia, enfim… mas ainda me sinto muito ansioso, e com muitas fobias , neste exato momento que estou digitando esta mgs , estou com uma gripe muito forte , procurei o medico , e ele me prescreveu alguns medicamentos , entre eles um antibiótico , pois segundo ele, estou com inicio de infecção pulmonar , mas ao ler a bula não consigo toma-los ( ao ler as reações adversas ) , consegui tomar o paracetamol para febre , e o expectorante natural (tosse) mas o principal (antibiótico , não consigo) com medo dos efeitos colaterais , portanto, preciso de ajuda , o meu psiquiatra esta de férias ( celular desligado) , pois ele sempre atende as minhas ligações , (é muito atencioso), a sertralina , me trouxe como consequência diabetes tipo 2 , ganho de peso ( 10 kg) , sobre isto , o meu médico disse que era normal da medicação , em relação a dosagem também falou que era a correta , portanto, preciso de sua ajuda , . Finalmente, certo de contar com o seu apoio , antecipo , desde já , os meus agradecimentos.
    Att: Fernando.

    1. Fernando.
      O Pânico, como escrevi nos textos, existem para nos defender de ameaças ao nosso existir e da nossa integridade física, psíquica e intelectual. Os remédios trazem equilíbrio e conforto biológico/químico. O importante seria iniciar um tratamento de terapia de fala para buscar os objetos dos medos que se mantém etéreos.
      Dado a urgência de sua situação, marque uma consulta comigo, sem compromissos, para melhor avaliarmos.
      Consultório em Moema: Av. Moema, 635
      fone: (11) 3459-8322
      Consultório em São Bernardo do Campo:
      Rua Adriático, 02. (11) 4125-2513.
      Aguardo seu agendamento.
      Obrigado, Léo

  70. Prezado Drº Léo Baroni, bom dia,

    Esqueci de comentar que já fiz “n ” sessões de psicoterapia (particular) , paralelo ao tratamento medicamentoso , mas infelizmente , no momento , não estou em condições financeiras de faze-las , pelo sus , é muito complicado , pelo plano de saúde que pago pelo estado ( sou funcionário público), os profissionais não estão atendendo ,pois alegam que o governo não está repassando os valores , os sindicatos estão tentando resolver o problema , enfim só me resta particular onde infelizmente estou sem condições financeiras , convem notar , que estou de licença médica por conta dos problemas psiquiátricos SP/Depressão, tomo januvia 100 mg/dia para o diabetes , ando também com problemas periodontais ( acho que é decorrência do diabetes mal controlado), portanto, não querendo abusar da sua boa vontade, peço mais uma vez a sua orientação , e desde já, antecipo , os meus agradecimentos.
    Att: Fernando.

  71. Olá, Dr.Léo!
    Agradeço imensamente a atenção dispensada à minha preocupação.
    Vou transmitir sua sugestão de tratamento.
    Tenha um Ano Novo de muita saúde e paz para dar continuidade à sua Bela missão.
    Um abraço. Maria Aparecida.

  72. Drº Léo Baroni, boa noite,

    Inicialmente, gostaria de agradece-lo por responder o meu e-mail , bem como as orientações ,em relação ao meu caso , e até por se disponibilizar em me atender , mas não moro em São Paulo , e fica distante , pois resido em Palmas -TO, mas, se permite, gostaria de saber como funciona o atendimento é virtual? pois não estou em condições de viajar nem em relação a saúde , bem como financeira , portanto, aguardo resposta , e desde já mais uma vez antecipo os meus agradecimentos.
    Att: Fernando.

    obs: Convém notar , que moro há 3 anos com uma mulher , mas infelizmente nosso relacionamento está além do limite , só problemas (brigas/discussões) ela é muito agressiva, e sempre quando discutimos ela vem com agressões físicas , eu apenas me defendo e há 2 semanas atrás eu fraturei um dedo ao tentar me defender dela , não somos casados nem no civil nem no religioso, apenas moramos juntos, quando eu disse a ela que teríamos que nos separar ela ameaçou se matar (suicídio) com os medicamentos que tomo e tranquilizantes em grande quantidade onde eu evitei esse desfecho , mas todas as vezes que falo que devemos nos separar ela tem as mesmas reações , e no fundo tenho pena dela , pois ela deixou um emprego de 11 anos numa clinica de exames laboratoriais ( ela é Téc em enfermagem) para viajar e vim morar comigo em Palmas -TO ,pois somos natural de outro estado , outro grande problema , é que ela não quer trabalhar ,já tentei de tudo ,mas infelizmente não adianta já falei p ela estudar p concurso , já tentei fazer o currículo para ela , tentar um contrato no estado, enfim… até já conversei com ela para trabalhar em casa mesmo, como autônoma (representante de cosméticos, avon, natura), mas infelizmente ela não quer , só trabalhava quando morava com os pais , pois sendo , carentes de recursos ela ajudava nas despesas de casa , ela apenas quer fazer os afazeres domésticos ,(lavar/passar/cozinhar/limpeza de casa e nada mais , ainda todos os meses repasso um certo valor a ela para aquisição de vestuário/salão de beleza/enfim… e demais despesas ), portanto, embora de licença, minha vida é uma panela de pressão constante, é bem verdade que ela me ajudou muito nos momentos difíceis com os meus problemas de saúde SP/Depressão , mas quase sempre sem paciência, finalmente peço mais uma vez a sua orientação , e desde já, antecipo os meus agradecimentos.

  73. Prezado Drº Léo Baroni, bom dia,

    Confesso , que tenho um grande apreço e admiração pelo Excelente profissional que V. Sª é , li vários comentários de pessoas que sofrem , assim como eu, deste grave problema que é a SP , onde achei as suas orientações perfeitas , e gostaria muito de ter a oportunidade de fazer um tratamento com V.Sª , não sei se seria antiético afirmar , mas infelizmente , os profissionais (psicólogos/psicólogas), que já fiz tratamento ( terapia) , não obtive o resultado esperado , e em alguns casos até me decepcionei , pois apenas me ouviam e nada mais e marcavam uma próxima consulta , e apenas questionavam , o que eu deveria fazer para resolver o problema , mas não me orientava no sentido de como eu deveria proceder para resolve-los , e até mesmo uma regressão !!! para resolver o problema das fobias (medos) e pânico , gastei um absurdo , passei 2 anos fazendo terapia , mas infelizmente os problemas do pânico continuam (fobias) , portanto, gostaria que V.Sª , me orientasse de como funciona o agendamento e consulta, e desde já, antecipo os meus agradecimentos.

    Att: Fernando.

  74. Dr.. Boa tarde.. Sou a Lucia , gostaria de saber, todas as vezes que vou fazer um exame principalmente do eletro e consultas eu fico ansiosa ..Passei num concurso público e preciso levar o eletro e eu fiz e deu acelerado preciso que esteja com os batimentos normais, quando faço a medição em casa com os parelhos de pressão está normal somente quando vou ao médico que acelera já faz uns 10 anos que acontece, agora eu preciso levar urgente..o Senhor poderia me indicar algum tratamento. Obrigada.

    1. Oi Lúcia.
      Você apresenta ansiedade simples quando em presença de profissionais da área da saúde. O tratamento adequado é a psicoterapia, porém este tratamento normalmente é demorado. Assim, faça-o somente se tiver interesse no tratamento.
      Quanto aos exames para a sua admissão no serviço público, seu médico cardiologista poderá apresentar um documento atestando que a aceleração dos batimentos cardíacos são decorrentes desta ansiedade e não provenientes de alguma doença cardíaca.
      Obrigado

  75. oi dr boa noite sou cristiane e faz 3 anos que sofro com muito medo,medo de sair de casa e ter um treco na rua, medo de viajar pra longe,medo de ficar sozinha,meu coraçao despara parece que a saliva na dece pela garganta.tenho medo ate de comer e morrer engasgada nao consigo pegar qualquer tipo de transporte que passo mal,e fiquei muito dependente do meu marido e as vezes eu sei que sufoca e ele acaba me maltratando e eu acabo ficando pior nesse exato momento recebi uma proposta de serviço pra cobrir uma ferias de uma secretaria do lar mais estou com muito medo muitos sentimentos ruins como se tds o dias fose o utimo meu casamento esta acabando pq nem vontade de beijar meu esposo eu tenho e isso ta afetando tds partes de minha vida,como profissional,sentimental,familiar enfim moro em diadema vc pode me ajudar…………….

    1. Cristiane, boa tarde,
      Por favor, ligue para o consultório de São Bernardo do Campo.
      Marque um encontro com a Psicóloga Maria Cícera.
      Rua Adriático 02, Jardim do Mar, S.B.Campo
      Fone: 4125-2513.
      Obrigado.
      Léo

  76. ola, meu nome é Rosangela, eu tenho depressão ja tomo alguns medicamentos, mas a 7 meses apareceu uma irritação na minha boca o medico disse que poderia ser alergia medicamentosa cortou todos os medicamentos, ñ melhorou nada pelo contrario piorou, estou a ponto de ficar louca, ate pensar em me matar eu ja pensei , esta irritação esta me causando muitos transtornos, meu marido ñ entende ele acha que eu faço corpo mole, sempre trabalhei, estudei, sempre fui independente, hoje dependo dele para quase tudo, ele sempre joga piada que ñ ta dando conta de tudo, mesmo assim eu ainda contribuo com as despesas da casa, ñ sei mas o que fazer, penso que a morte seria a melhor solução, ja tomei, carbamaziprino, citalopram, alprazolam,cloridato deciclobenzaprina, fluoxetina e outro, hoje tomo so alprazolam, por favor me ajude n~sei mas o que fazer.

    1. Rosangela, boa tarde.
      Favor marcar uma consulta, sem compromissos, para que possamos discutir seu quadro com maior profundidade.
      Em Moema, São Paulo, (11) 3459-8322
      Em São Bernardo do Campo: (11) 4125-2513.
      Obrigado
      Léo

  77. Bom dia Dr. Léo, tudo bem? Em 2006 fui diagnosticada com síndrome do pânico e me tratei com medicamentos, acompanhamento psiquiátrico por seis anos e um ano de psicoterapia. Em 2012 recebi alta e realmente me sentia muito bem. Antes de terminar o tratamento fiz várias viagens de férias nas quais eu dirigia. Porém, na última viagem, na ida, um carro tentou ultrapassar-me, quando viu que não dava tempo, jogo seu carro em cima do meu. Não chegamos a nos machucar e mal amassou o meu carro. Mas nessa mesma viagem aconteceram irresponsabilidades de outros motoristas ao longo do percurso que me abalaram de uma forma que não consigo mais viajar. Tem sido difícil, pois meu marido gosta de dirigir e não vê o perigo na mesma proporção que eu e por vezes brigamos por isso. Eu sempre digo a ele que não tenho medo de morrer num acidente, mas de ficar muito quebrada em um hospital. Ontem a noite discutimos por causa do meu medo, para ele, infundado. Estou ficando insuportável.
    O que o senhor me indicaria? Muito obrigada.

    1. Néia, boa tarde
      Diferentemente dos sintomas de medos e pânicos que vivenciou no passado, onde as causas não eram conhecidas, os sintomas decorrentes dos seus medos atuais, tem uma origem conhecida e vivenciada no concreto quando da experiência do acidente sofrido na estrada. Estes medos atuais procuram protegê-la de um possível novo acidente.
      Este quadro que tem te atormentado sugere que você está convivendo com um transtorno de “Estresse Pós-Traumático”.
      O melhor tratamento para esta disfunção é a psicoterapia. Recomendo que busque um processo terapêutico que inclua procedimentos regressivos com exercícios elaborados em estados alterados de consciência.
      Caso necessite, marque uma consulta, sem compromissos, para nos aprofundarmos no assunto: (11) 3459-8322.

  78. Boa tarde, Dr. Léo, tudo bem?
    Obrigada por me responder. Eu realmente gostaria de poder fazer esse tratamento com o senhor, mas resido em Cascavel no Paraná.

    1. Néia,
      Procure na sua cidade ou região, um profissional especializado e psicoterapia cognitiva. Por ser uma terapia “focal”, você poderá obter resultados satisfatórios em um menor tempo menor.

  79. Dr, depois que fui diagnosticada com Prolapso de Valva Mitral, nunca mais fui a mesma pessoa. Mesmo o médico me dizendo que isso é uma doença que não apresenta risco á vida e os exames que fiz comprovarem que está tudo bem comigo, tenho um pavor imenso de ficar em casa sozinha. Sou altamente sugestionável, qdo sei que alguem passou mal ou morreu subtamente, principalmente qdo se trata de doenças do coração fico terrivelmente afetada. Percebi que as noites, principalmente qdo estão nubladas ou chuvosas é como um pesadelo pra mim, começo a suar minhas mãos, meu corpo treme, a vontade que tenho é de correr p casa de alguem, pq entro em desespero e tenho medo de morrer sem ninguem p me ajudar. O que eu tenho? Me ajuda.

    1. Luana.
      Você está muito impressionada pelo diagnóstico recebido. Minha sugestão é de que procure maiores informações sobre a característica apresentada.
      Porém, parece que também está apresentando sintomas de ansiedade crescente. Proponho que busque imediatamente uma psicoterapia para entender e controlar estes sintomas. Quanto mais cedo você procurar ajuda, melhor será a eficácia do tratamento.
      Se necessário agende, sem compromissos, uma consulta para conversarmos mais sobre o assunto.

  80. oi léo,td bem?me chamo daniela tenho33 anos, e tenho crises de ansiedade e sindrome do panico, nao tomo remedios pois tenho medo.vopu fazer uma viagem e desde ja ja estou com medo de ir sozinha pelo amor de deus me ajude…

    1. Daniela,
      Ao fazer a opção de não tomar medicação para controlar sua ansiedade, inicie imediatamente uma psicoterapia. Recomendo as terapias que utilizem regressão e hipnose nos seus procedimentos. Recomendo também as psicoterapias abordagem cognitiva-comportamental.
      Vários dos meus clientes que não querem tomar remédios com princípios antidepressivos e ansiolíticos para o tratamento da ansiedade, procuram se tratar com a homeopatia e a acupuntura, obtendo sucessos, confortos e remissão dos sintomas. Estas condutas terapêuticas mostram-se excelentes quando associados com a psicoterapia.
      Recomendo.
      Obrigado

  81. olá dr. Léo,Meu nome é ELIS, tenho 39 anos e ha alguns anos venho sofrendo com crises de depressao… só que depois da morte de minha mãe há 2 anos e do meu irmão ha pouco mais de 1 mês.tive uma crise diferente de todas as outras, fui ao psa e o medico disse q era depressao e mim encaminhou ao psiquiatra… só que isso já faz 5 dias e continuo sentindo essa agonia na cabeça, braços e pernas e muito medo de morrer e choro muito. por favor me ajude…essa agonia é horrivel..

    1. Elis,
      Seu luto está contribuindo para com a intensidade e gravidade dos sintomas que lhe acometem. Sua depressão já está medicada, contudo, os antidepressivos levam um tempo acima de 10 a 15 dias para apresentarem plenamente seus benefícios. Caberia um pouco mais de paciência.
      Recomendo que procure uma terapia, tanto com a abordagem na psicologia clínica, quanto na abordagem da filosofia clínica, para tratar das suas perdas afetivas recentes e para a identificação e remissão da origem de sua depressão.
      Caso queira conversar pessoalmente, me procure para uma consulta sem compromissos. (11) 3459-8322.
      Obrigado

  82. OI doutor meu nome é Nilda. Estou com depressão desde 1997. O meu medo é associado a morte , por isso tenho medo de fazer qualquer tipo de carne. E mais recentemente também não consigo comer nada que venha de carne, mas tenho vontade. No passado, eu cozinhava bastante carne, quando minha mãe tinha um bar e eu era adolescente (perdi meu pai aos 5 anos).
    Já fiz diversos tratamentos, terapias, mas não consigo ir para frente. Tomo, atualmente Fluorexetina e Rivotril, já fazem alguns anos. Mas não vejo resultado e nem tenho forças para um tratamento psicológico, sempre que começo acabo, sem esperanças, largando.
    O que o senhore recomenda que eu faça?
    Abs,
    Nilda.

    1. Nilda, boa noite.
      O tratamento psicoterapêutico seria o mais aconselhável, mesmo que por vezes, já tenha se buscado este tratamento.
      Recomendo que busque por uma psicoterapia cognitiva e por processos hipnóticos.
      Caso seja da sua aprovação, posso desenvolver algumas sessões regressivas, porém, não me utilizo da regressão sem que a pessoa esteja em processo psicoterapêutico, quer seja comigo ou com outro profissional.
      Recomendo também um processo terapêutico da Filosofia Clínica.
      Telefone do meu consultório em Moema, SP: 3459-8322.
      Obrigado,
      Léo

  83. Bom dia!!!
    a muito tempo vinha sofrendo com alguns sintomas, que estavam me deixando apavorada, achando que poderia morrer a todo momento, falta de ar, dor no peito, anscia de vômito, dor de bariga, dor de cabeça.
    Até que resolvi procurar um psiquiatra, ele me diaguinosticou como sindrome de pânico, me receitou Serenata (cloridrato de sertralina) e Rivotril. No primeiro dia que tomei o Serenata já fiquei muito mal, com muito enjôu, cabeça vazia, sono, etc.
    Pretendo nunca mais colocar esse remedio na minha boca, pois fiquei muito pior que antes…faço mal parando com a medicação, sendo que tomei somente um dia?
    vou procurar um metodo mais natural, tentar controlar minha ansiedade, meus medos, porque não quero ficar dependente de remedio pra viver não!!!

    1. Janaina, boa noite.
      Muitos sofrem com os sintomas adversos destas medicações. Respeito sua decisão em interromper o tratamento.
      Contudo, ressalto a necessidade de procurar por outros tratamentos. A psicoterapia é fundamental para entender e impor uma conduta ativa contra os sintomas dos medos, e identificar os elementos que geram as ameaças e alimentando seus sintomas.
      Tenho atendido muitas pessoas que optaram em tratar os sintomas dos medos com a acupuntura e com a homeopatia com bastante sucesso.
      Caso necessite explorar e aprofundar-se um pouco mais sobre estas outras formas de tratamento, marque uma consulta, sem compromissos.
      Léo

  84. Tenho 35 anos, e depois da minha separacao eu entrei em depressao… E ultimamente as coisas tem se agravados… Tenho muito medo de morrer… Mais as vezes quando sinto este problema quero morrer logo, sinto como se o meu corpo estivesse fora de mim… E sinto angustia e tristesa frequentemente…

    1. Teresa,
      Sua depressão é decorrente de sofrimentos naturais decorrentes de separação e falecimento de entes queridos.
      Como o luto resiste ao longo do tempo e tem apresentado piora dos sintomas, seria muito importante que procure um psiquiatra, este irá avaliar se seria necessita de remédios para combater tais sintomas e iniciar um processo psicoterapêutico.

  85. Oi Dr Leo,
    Há 2 anos sofro de síndrome do pânico, diagnosticada por um dos inúmero médicos pelos quais passei ao longo desse tempo. Minha crises começaram afetando minha alimentação, indigestão, medo de engasgar, investiguei tudo e Graças a Deus nada de alteração foi encontrado. O Gastro que me atendeu então sugeriu que pudesse estar ligado ao meu estado mental, me receitou clonazepam gotas (uma vez que n consigo engolir comprimidos, e morro de medo de tomar remédios) o qual eu comprei e o frasco está pela metade pois só faço uso dele nas crises as quais venho controlando com psicoterapia 2 horas 1 vez por semana. Leio muito acerca desse assunto por isso encontrei esse site. A minha pergunta é, considerando que já fui em vários médicos que me indicaram combinações de antidepressivos os quais comprei e não consigo nem abrir a caixa. Posso controlar minhas crises com o clonazepan (tomo 5 gotas por crise) sem q me torne dependente ou que o remédio pare de fazer efeito? As crises tem diminuido, buscar informações a respeito da sindrome do pânico tem me deixado mais consciente. Tenho a esperança que um dia ela vai acabar.Parabéns pela inicitiva, e agradeço desde já sua atenção.

      1. Olá dr Léo.
        Meu nome é Pamela tenho 27 anos e estou sofrendo muito com crises de panico,mesmo os medicos me diagnosticando que tudo é piscicologico ñ consigo controlar,sinto meu coração acelerar,minha boca e garganta seca,é uma sensação que vou morrer,tenho medo de domir e ñ acordar mais,medo de tomar remedios e chego até a piorar quando tomo,qualquer um até pra dor de cabeç,meu coração acelera muito,esses dias foi a 167,a medica disse q foi por medo,mais eu questiono se isso pode mesmo causar tudo isso com meu corpo,e tenho crises mesmo estando calma as vezes,sofri muito na minha infancia com a minha madrasta,e minha gravides foi de risco e tive pre eclapcia após a gravides,dois derrames e um ataque cardiaco,após trés meses meu Pai se suicidou e foi eu quem o encontrei,isso fazem 7 anos a 4 mudei de cidade mais agora de 1 ano pra cá essas crises tem sido constantes,oq devo fazer…
        obrigada

      2. Pamela, você apresenta em seu histórico motivos para se sentir com grandes dificuldades de manter o equilíbrio físico, psíquico e emocional.
        Venha conversar pessoalmente sobre o que passa. Este fórum pode ser muito superficial para o que você necessita. Não cobrarei por este contato.
        consulta em Moema: (11) 3459-8322
        consulta em São Bernardo do Campo: (11) 4125-2513.
        Aguardarei seu agendamento

  86. tenho mta falta de ar,o médico mi falou que é anciedade,estou tomando fluoxetina,será que isso tem cura.gostaria de uma resposta…obrigada.

  87. Dr. Leo, num processo de exame psicotécnico, após todos aqueles testes de percepção e etc., revelei ao psicólogo que fez a entrevista final, que havia tomado lexapro há dez anos, por um curto período, em decorrencia de ansiedade. Essa revelação é ruim para o laudo conclusivo, com vista à admissão no emprego público?

    1. Francisco, não há motivos para se preocupar. Este episódio, além de antigo, não deveria interferir no processo para a sua admissão. Caso venha a ocorrer tal recusa por este motivo, cabe a decisão de se mover um processo judicial.

  88. Olá Léo Baroni, meu nome é Raquel e tenho 23 anos moro em Manaus, em Fevereiro (no mês do meu aniversário) deste ano eu tive a minha primeira crise de pânico achei que ia morrer! pois não sabia o motivo dessa tempestade que estava acontecendo comigo, desde lá eu fico com medo de sair para locais que não pertencem a minha rotina, tomar medicação (eu morro de medo), fazer qualquer procedimento odontológico e até engravidar novamente. Fui ao Psiquiatra e ele me receitou medicação controlada, mas eu não quero tomar pois não quero ser dependente disso, ele não é tão atencioso para conversas tmb e não fez tanto efeito em mim.. enfim, gostaria de receber dicas do posso estar fazendo para vencer e minimizar esses medos. (fico até com vergonha de descrever estes medos citados acima porq até eu acho bobo, mas não consigo superar.)

    Help me!!!

    at,

    Raquel

    1. Raquel, não se envergonhe dos seus sintomas, procure entende-los.
      Os medos e seus sintomas, surgem para nos proteger de situações que consideramos perigosas, mesmo que esta preocupação seja decorrente de suposições equivocadas ou distorcidas.
      A utilização da medicação psiquiátrica seria sua ferramenta mais eficaz e rápida para encontrar paz suficiente e assim buscar na psicoterapia os significados dos seus medos e descobrir as ameaças que provocam seu surgimento.
      Caso não queira fazer o tratamento psiquiátrico, procure tratamento homeopático, meditação, Yoga e acupuntura. Estas práticas estão mostrando-se muito eficazes no tratamento da ansiedade.
      Porém, nunca interrompa a busca da “sua cura” dos sintomas dos medos. A ansiedade e a depressão aumentam quando não tratadas. A persistência é o elemento que se fará indispensável nesta sua jornada.
      Léo

  89. ola Leo
    achei interessante essa pagina…
    estou desesperada….tenho crises de panico ansiedade…dizem que sao todos sintomas psiclogicos….mas a pressao sobe ela fica 16 10 e outra eu nao consigo fazer os tratamentos pois tenho medo de tomar remedio panico mesmo…apos tomar qualquer medicacamento me falta ar,,,parece que minha garaganta esta fechando….minha pressao sobe….uma sensacao horrivel…nao consigo controlar….eu tomo atenolol a muito tempo…minha frequencia cardica j]a e alta e com essas crises aumentam mais…..todos estao cansados de mim…sem paciencia….estou travada na cama com dores no nervo ciayico fui no ortopedista ,,,ele passou ressonancia…..paralisei …nao consegui fazer por medo….receito remedios…cheguei de tomar um comprimido…mas minha pressao subiu estou com muitas dores mas nao consigo tomar os remedios…leio a bula ai sinto tudo…principlamente pressao alta e pressao na cabeca e todos os remedio falam que pode subir…entao nao é psiclogico acontece mesmo.alguem j[a morreu com isso…sinto q estou definhando

    …estou neurotica e cansada de mim.

    1. Bianca,
      O fato dos sintomas serem psicológicos, isto é, não serem decorrentes de uma doença física, não significa que não sejam reais. Sim, seus sofrimentos são reais.
      O tratamento psiquiátrico é um dos tratamentos com respostas mais rápidas mas podem fazer com que viva com sintomas adversos. Existem outros tratamentos que poderá fazer uso, tais como Tratamento Homeopático, acupuntura chinesa e psicoterapia.
      Marque um horário sem compromissos para conversarmos mais sobre os seus sintomas e sobre os tratamentos.
      11 3459-8322

  90. Boa Tarde! Tenho pânico de tomar remédios, quando preciso tomar antibióticos, as crises aumentam, já fiz terapia e tratamentos com sucesso fiquei bem, mas agora tenho observado que quando tomo Olcadil de 1mg que a Psiquiatra me deixou pra quando a ansiedade apertar, passo mau e fico com medo, mesmo sabendo que o que sinto são os sintomas da ansiedade, passo dias sofrendo e pensando se vou tomar ou não, ela sempre fala pra eu tomar 2 semanas e fazer o desmame. Me fala, quanto tempo demora para o remédio fazer efeito, eu sei mas preciso ouvir de um profissional. Estou tentando voltar para a terapia, mas não consigo horário com a minha psicologa.Sofro muito com isso, pois não posso demonstrar isso no meu trabalho. Eu tenho medo de passar mau, mas enfrento vou e faço, mas sofro muito, só queria o meu bem estar de volta. Obrigada por me ouvir.

    Andréia L.M

    1. Andréia, é de suma importância que volte ao tratamento psicoterápico. Se não encontra horários com a psicóloga que te acompanhava, procure outro profissional que possa lhe dar assistência neste momento.
      Os remédios poderão lhe oferecer alívios imediatos mas não resolverão as circunstâncias que geram suas ansiedades.
      Sugiro que busque fazer práticas que possam auxiliá-la a se sentir centrada em si mesma, tais como Yoga e Meditação.
      Caso necessite conversar mias profundamente marque um horário sem compromissos. (11) 3459-8322
      Obrigado

  91. Dr. Léo, Bom Dia!
    Não sei mais o que faço, tenho muito medo de morrer, qualquer sintomas eu já acho que é alguma doença grave, fico imaginando minha família sem a minha presença. Já fiz vários tratamentos e não obtive melhoras, há mais ou menos 2 anos sinto uma visão clara, uma tontura, uma vontade de dormir um desanimo. Será que é alguma doença? To com medo.. Me ajude!

  92. Foi muito bom ler isso .Já estou sofrendo de sintrome do pânico algum tempo e não consigo nem sair para ir procurar ajuda .Já pedi por socorro mas nada tenho convênio e pedi para eles que me ajudase vindo de ambulância me retirar de dentro de casa..muito ruim sentir isso e nem tds entende não erra asim .queria muito ajuda de um médico .mas não csg sair de casa vivo presa faz trez anos que estou assim e sinto que eu estou escluida.

    1. Cristina,
      é muito importante que você procure ajuda. Talvez o melhor procurar uma internação para este momento que os quadros de pânico estão muito intensos. Procure pelo Hospital Bezerra de Menezes e verifique se eles poderiam te auxiliar.

      1. Olá. Gente eu acho que tenho um problema sério e não sei o que faço. Tenho pavor a comprimidos e cápsula não consigo engolir. Eles travam e nem sequer tento engolir. Tenho medo, não consigo fazer nenhum tratamento. Agora mesmo estou com H pylori e fiquei desesperado pq nunca iria conseguir engolir esses comprimidos. Dr. me ajude, o que eu tenho? Estou louca?

      2. Silvana, boa tarde.
        Você apresenta os mesmos sintomas que a pessoa anterior. Descrevo o mesmo para você: “ao procurar ajuda, você tomou a melhor decisão. A descrição dos seus tormentos e angústias pertencem aos identificados em quadros de depressão e de ansiedade. Provavelmente seus problemas se resumem aos estados psíquicos e emocionais, mas seria importante passar por um médico para que através de exames clínico, se possa descartar quaisquer problemas físicos, tais como disfunções hormonais e diabetes, entre outros. Concomitantemente procure por profissionais especializados na saúde mental que te auxiliarão a identificar, diagnosticar e propor tratamentos aos sintomas que apresenta. Como você está resistente a tomar medicações, o melhor seria, primeiramente, procurar por um psicólogo para iniciar tratamento psicoterapêutico. Caso queira conversar com maior profundidade, marque uma consulta comigo, sem compromissos: ”
        “Consultório em Moema, São Paulo: Avenida Moema, 635, Planalto Paulista, São Paulo – Tel.: (11) 3459.8322
        Consultório em São Bernardo do Campo: Rua Adriático, 02 – Bairro Jardim do Mar, SBCampo, SP- Tel.: (11) 41252513”

  93. porque os profissionais da psiquiatria e psicologia brigam entre si sobre a questão da síndrome e transtornos do pânico Doutor? tenho síndrome do pânico à 29 anos. tenho 54.
    quando tentei procurar um psiquiatra foi quando li uma matéria muito interessante sobre estes dois profissionais distintos; onde o psicólogo alegava que para tratar a síndrome precisava-se saber à fundo os traumas do doente e que a psiquiatria não trabalha sem remédios e que nada adiantaria a medicação. já o psiquiatra respondia ao psicólogo que quem tem a síndrome ou os transtornos ( como eu tenho inclusive. minha síndrome do pânico desencadeou a agorafobia ) precisava de tratamento urgente e que as medicações ajudam. sinceramente quando li aquele debate; meu chão ruiu. e até hoje procuro evitar novos ataques; que de verdade só tive uns 3 nestes anos e nem me interesso mais em procurar ajuda; tanto psicológica. quanto psiquiátrica. não saio sozinha de forma alguma; principalmente quando as coisas em minha vida ou de quem convive comigo não andam bem. fui privada de tudo; absolutamente tudo na minha vida por causa desta doença. os anos foram-se passando e nesta idade nem dinheiro tenho para um tratamento pois arrumar emprego é difícil.gostaria de saber se temos mais algumas novidades à respeito e se eu ainda tenho alguma possibilidade de cura. sei que irá responder que sim mas esta doença está tão enraizada que acho; que se melhorar não saberei mais os limites do medo.

    1. Vera Lucia,
      desculpe o tempo que me mantive distante.
      Não são todos os profissionais que mantém posições distantes no tratamento das doenças psíquicas e afetivas. Muitos trabalham juntos ee procuram trabalhar com as reais necessidades da pessoa em questão, procurando atitudes mais holísticas.
      Recomendo que assista o documentário sobre a depressão existente no site: http://www.dentrodenos.com.br
      alí você encontrará alternativas de tratamento

  94. Ola ., meu nome ‘e glauciane…tenho brinquite a 25 anos ,fačo tratamento com alenia e beretec…porem de uns anos para. ca coisa de dois anos comečei a ter medo de tudo de comer certas coisa de tomar remedios …de onibus de elevador de metro …senti um aperto no peito ..meu coracao acelerava minhas maos suavam ..mas fiz exame de sangue e eletro nao deu nada ….ai minha medica me passou fluxotina…mas para variar tenho medo de tomar remedio choro muito me sinto um lixo ….oque fačo

    1. Glauciane, procure por um tratamento psicoterapêutico, será de suma importância para você poder entender o que está se passando. Me procure para que possamos entender o que se passa com você. “Consultório em Moema, São Paulo: Avenida Moema, 635, Planalto Paulista, São Paulo – Tel.: (11) 3459.8322
      Consultório em São Bernardo do Campo: Rua Adriático, 02 – Bairro Jardim do Mar, SBCampo, SP- Tel.: (11) 41252513”

    2. Glauciane, Procure por um psicólogo e inicie um processo psicoterapêutico. Você está passando por transtornos de ansiedade que precisam de identificação e de tratamento. Me procure para podermos conversar melhor sobre suas necessidades: “Consultório em Moema, São Paulo: Avenida Moema, 635, Planalto Paulista, São Paulo – Tel.: (11) 3459.8322
      Consultório em São Bernardo do Campo: Rua Adriático, 02 – Bairro Jardim do Mar, SBCampo, SP- Tel.: (11) 41252513”

  95. Boa noite, dr. Tenho 27 anos e sofri de transtornos depressivos não muito graves na adolescência, e de alguns meses pra cá percebo que sofro novamente desse mal e de forma pior. Estou sempre pesquisando sintomas na Internet e achando que contraí alguma doença grave, mas tenho medo de ir ao médico e concretizar que essas sensações são de fato sintomas de algo. Sei que ansiedade pode desenvolver sintomas físicos, mas não consigo pensar nisso quando pesquiso o que penso ter sentido. Também criei o hábito de ler bulas de remédios e passei a ter medo de toma-los. Hoje por exemplo tomei um naldecon (que tem 800mg de paracetamol) e me arrependi logo em seguida, chorando desesperada e com medo de que ataque o figado (consumo álcool regularmente). Estava sem beber há mais de um dia quando tomei o remédio, e tomei a dose indicada. Mesmo tendo lido que overdose de paracetamol ocorre só acima de 5g/dia e não tendo consumido álcool anteriormente, fiquei impressionada e vigiando possíveis sintomas de uma falência hepática. Isso foi só um exemplo da minha paranóia com medicamentos, e sei que não vou tomar qualquer outra coisa tão cedo, porque me conheço. Além disso, não tenho ânimo pra nada e raramente saio de casa sem ser por obrigação, o que eu acho que está agravando os pensamentos ruins e a sensação iminente de que algo está errado, ou de que algo muito ruim está pra acontecer. Isso tudo caracteriza hipocondria? Depressão? Eu não se e não aguento mais essas sensações físicas e o medo de que tudo isso seja alguma doença de verdade. Estou finalmente engolindo meu orgulho para procurar tratamento, mas não sei qual profissional de saúde mental devo procurar, e gostaria de saber se o sr. me recomendaria marcar consulta com um clínico geral para que ele me encaminhe para outros profissionais que possam sanar minha dúvida de ter alguma doença ou não, ou se com base no meu depoimento, são só coisas geradas pela minha cabeça mesmo.

    Desculpe o incômodo, e obrigada desde já.

    1. Boa tarde.
      Ao procurar ajuda, você tomou a melhor decisão. A descrição dos seus tormentos e angústias pertencem aos identificados em quadros de depressão e de ansiedade. Provavelmente seus problemas se resumem aos estados psíquicos e emocionais, mas seria importante passar por um médico para que através de exames clínico, se possa descartar quaisquer problemas físicos, tais como disfunções hormonais e diabetes, entre outros. Concomitantemente procure por profissionais especializados na saúde mental que te auxiliarão a identificar, diagnosticar e propor tratamentos aos sintomas que apresenta. Como você está resistente a tomar medicações, o melhor seria, primeiramente, procurar por um psicólogo para iniciar tratamento psicoterapêutico. Caso queira conversar com maior profundidade, marque uma consulta comigo, sem compromissos:
      Consultório em Moema, São Paulo: Avenida Moema, 635, Planalto Paulista, São Paulo – Tel.: (11) 3459.8322
      Consultório em São Bernardo do Campo: Rua Adriático, 02 – Bairro Jardim do Mar, SBCampo, SP- Tel.: (11) 41252513

    1. Susana, bom dia,
      Depende da medicação envolvida. O melhor seria consultar seu médico antes.
      Existem remédios naturais, como A Erva-De-São-João, que são eficazes contra a depressão mas além de desenvolver efeitos colaterais desagradáveis, podem entrar em conflitos os antidepressivo alopáticos.

  96. ola Dr Leo bom dia sou Silmara tenho 26 anos…no final de 2013 estava no meu trabalho quando comecei a sentir mal com dores no peito fraqueza nas pernas suando frio as mãos tbm palpitações no coração acelerada medo de ficar só chego até sentir enjoos e tonturas dor no braço esquerdo sensação ruim de medo não durmo direito tenho insônia no outro dia acordo muito mal já fui a vários Cardiologista já muitos exames Cardiológico e nenhum deu nada todos mandaram procurar um psiquiatra oque pode ser? e o devo fazer preciso de ajuda não sei oque fazer as vezes evito de sair de casa com medo de passar mal… Até pq as quando ando muito tenho a sensação que começo a sentir falta de ar cansaço desconforto no peito e da uma medo sanção de vou se acabar ale mim ajude por favor já fiz tanto exames e nada já fiz Ecocomdoble vários Eco Cardiograma e Eletrocardiograma e nenhum deu nada tudo Oki mais eu sinto isso não vivo mais parei de trabalhar por isso…..

  97. Ola Dr Leo bom dia sou Silmara tenho 26 anos…no final de 2013 comecei a não se sentir bem estava no trabalho comecei a sentir uma dor no peito e no braço esquerdo suando frio as mãos tbm tremores nas pernas palpitações no coração acelerada tonturas as vezes chego até sentir enjoos um medo sem fim dai pra cá sempre venho sentindo com mais frequências oque pode ser? oque devo fazer? Já fui a vários cardiologista já fiz vários exames cardiológico e nenhum deu nada já fiz Ecocomdoble um Ecocardiógrafa e vários eletrocardiograma e nada eles mim mandaram que eu procurasse um Psiquiatra eu não sei oque fazer..as vezes não saiu nem de casa com medo de passar mal as quando ando muito tenho uma sensação de que vou desmaiar começo a sentir faltar de ar cansaço desconforto no peito e horrível parei até de trabalhar por causa disso por favor mim ajude oque devo fazer..espero a Resposta..

    1. Oi Silmara,
      Você está apresentando os sintomas dos Transtornos de Pânico.
      Recomendo que procure um psiquiatra para iniciar o tratamento medicamentoso. Este tratamento com antidepressivos e ansiolítico, é fundamental para que sejam erradicados os sintomas da Ansiedade. Concomitantemente, inicie um processo Psicoterapêutico para que sejam identificados e tratados os motivos psicológicos e afetivos que são responsáveis pelos surgimentos dos sintomas.
      É muito importante que encontre forças para empreender estes tratamentos, mesmo porque os Transtornos da Ansiedade tendem a aumentar sem os tratamentos adequados.
      Caso queira falar mais sobre o que te assombra, me procure sem compromissos e marque uma consulta. (11) 3459.8322

      1. Boa noite…
        Meu nome é Gabriela tenho 27 anos… tenho medo de tomar remedio …quando pequena no hospital quiseram me aplicar bezetacil e meu pai sempre neirotico com remedios pediu exame e deu que eu era alergica desde entao meu pai sempre antes de me dar remedio olhava a bula toda. Um dia com seis anos ele discutiu com minh mae sobre a dosagem de um remedio q se desse a mais poderia ser fatal que estava escrito na bula e tal . foi desse dia que tive minha primeira crise de panico lebro como se fosse hoje , tomei o remedio e na hora tive a minh primeira crise … fui p hospital e ateh hoje sofro com isso varias crises de panico. Uma lutz pra tomar remedio com o tempo soh foi piorando.. entrei em depressão .. ansiosa … medo de morre.. com os sintomas de palpitaçao procurei medico e escutei novamente que nao tinha nada… hoje luto contra esse medo.. nesse extato momento estou fazendo tratamento de canal e nao tomei o inflamatório pq nao estava doendo, amanheci do cara toda inchada e agora tenho q tomar remedio…evito o maximo mas quando nao tem jeito peço Força p Deus e rezo p ele tirar esse panico que me atrapalha devido um episodio de infancia.

        Obs .. Estou tomando antiflamatorio !!!sem crise!!!ebaaa

  98. Olá, Dr. Léo eu comecei a ter medo desde que tomei um medicamento para vômitos chamado bromoprida e tive espasmos musculares(pescoço e olhos), fui levada imediatamente para um pronto socorro levando a bula e o médico me disse que está escrito este efeito colateral. Fiquei sem tomar remédios por um bom tempo até que precisei tomar amoxilina + clavulanato e tive a mesma reação, começa com uma fraqueza após um tempo que tomei o medicamento.Procurei vários médicos fiz exames, inclusive um eletro e não deu nada, eles falam que foi uma reação como qualquer pessoa pode ter. Só que eu gostaria de saber quais medicamentos ou composição que provoca essa reação? Muito Obrigada!

  99. Tenho pânico. Já fiz inúmeros tratamentos e terapias. Moro em Curitiba.estou em uma fase em que percebi uma angústia enorme relacionada à solidão, ao amor que deixo de viver. E me pego sem sentir condições de tomar decisões que poderiam ser favoráveis à superação- aceitar, vivenciar o amor. Me acho incapaz de cuidar de outro ser -animal, pessoa, etc. tenho medo de não dar conta.Meus ataques de pânico estão controlados, mas sinto solidão e outros sintomas ( náuseas, etc). Minha família mora em SP (abc) e vou muito visitá-los.Continuo tomando anti depressivos, mas não sei se ajudam tanto. aprendi a controlar o pânico e as fobias.Há tempos fiz um tratamento homeopático que me ajudou.Muitas vezes acho que nunca vou resolver totalmente esse problema. Queria ouvi-lo.

  100. Ola, e a primeira vez q estou falando em um site meu problema. Tenho sindrome do panico com ansiedade. Ja fiz incontaveis exames do coracao desde os 14 anos. Tenho 22 e continuo com o problema.
    Meus simtomas sao taquicardia, tremores, pensamentos aleatorios de catastrofe.
    Leio bulas e me da muito medo das reacoes adversas. Tomo escitalopram e tenho medo dele por causa do q fala na bula. Nao consigo me exercitar pelo fato do medo. Tenho medo de cair em outra depressao. Por favor ajude me. Preciso de uma resposta q me acalme denovo. Esse remedio realmente mata ou e apenas sofismo de minha parte. Quero ter paz denovo, o q eu nem faco mais ideia do que e.

  101. Olá!
    Fui diagnosticada com síndrome do pânico e depressão. Quando a crise vem, do nada, é totalmente diferente do que tinha antes. Começo a ficar paralisada nas pernas, não posso caminhar, todo o meu corpo paralisa, não posso falar, mover o olhar, entendo tudo o que falam, escuto mas, não consigo responder. E agora a paralisia é dolorosa. Não podem me tocar porque sinto uma dor extrema em todo o corpo. A ultima crise que tive, fiquei desacordada que é diferente de dormindo, porque não me lembro de nada durante mais ou menos 6 horas em uma sala de primeiros socorros em um evento com mais de mil pessoas. Creio que o que desencadeou a crise foi a quantidade de pessoas mas, não posso afirmar porque não há nenhum motivo especifico quando tudo começa.
    Tenho curiosidade de saber se essa paralisia com ou sem dor, pode ser um dos sintomas de pânico, porque realmente me assustam. Mas, não tenho medo de morrer quando tenho crises. Sei que não vou morrer disto.
    Tenho 50 anos, sou separada e tenho 2 filhos adolescentes e um histórico de “depressão fetal”.
    Obrigada, se puder me responder!
    Saudações,
    Srta. Altair

  102. bom dia meu nome e cidy a 2 anos sofro com uma angustia muito grande sem motivo.Tenho medo de sair de casa sozinha,tenho oustros problemas de saúde para resolver e não tenho coragem de ir ao medico sozinha.Fico esperando por meu esposo para me acompanhar.a alguns meses também comecei a sofrer de de nojo excessivo,não entro no banheiro descalço,evito olhar para lugares que sujeiras pretas,tipo o beral da pia que soltou o rejunte e esta preto,tenho um nojo terrível de olhar ,tenho nojo de lavar a louça com mais de um dia na por medo de sair bichos de la.e agora to com medo terrível de coisas tipo muitos buracos juntos,ou caroços pretos juntos.Tudo isso paralisou aminha vida e esta acabando com meu casamento pois o desanimo é total,não tenho mais vontade de fazer o eu fazia antes,as coisa que eram importantes antes já não me interessam,não saio para festas não compro presentes naõ sou feliz.tudo perdeu o sentido para mim.Socorro.A 3 meses estou tomando fluoxetina,so melhorou a ansiedade por comida ,eu comia desesperadamente,e diminuiu um pouco a vontade de morrer. Os nojos e o medo de sair de casa o desinteresse por tudo ta acabando comigo.Dependo do meu amarido me levar ao medico,bem quando ele tem disposição e não esta com raiva de mim.por ficar meses,sem dar carinho e tudo mais.obrigado.

  103. bom dia leo, meu nome e cidy a 2 anos sofro com uma angustia muito grande sem motivo.Tenho medo de sair de casa sozinha,tenho oustros problemas de saúde para resolver e não tenho coragem de ir ao medico sozinha.Fico esperando por meu esposo para me acompanhar.a alguns meses também comecei a sofrer de de nojo excessivo,não entro no banheiro descalço,evito olhar para lugares que sujeiras pretas,tipo o beral da pia que soltou o rejunte e esta preto,tenho um nojo terrível de olhar ,tenho nojo de lavar a louça com mais de um dia na por medo de sair bichos de la.e agora to com medo terrível de coisas tipo muitos buracos juntos,ou caroços pretos juntos.Tudo isso paralisou aminha vida e esta acabando com meu casamento pois o desanimo é total,não tenho mais vontade de fazer o eu fazia antes,as coisa que eram importantes antes já não me interessam,não saio para festas não compro presentes naõ sou feliz.tudo perdeu o sentido para mim.Socorro.A 3 meses estou tomando fluoxetina,so melhorou a ansiedade por comida ,eu comia desesperadamente,e diminuiu um pouco a vontade de morrer. Os nojos e o medo de sair de casa o desinteresse por tudo ta acabando comigo.Dependo do meu amarido me levar ao medico,bem quando ele tem disposição e não esta com raiva de mim.por ficar meses,sem dar carinho e tudo mais.obrigado. Socorro.

    1. oi Cidy,
      Seu quadro é extremamente agressivo e crônico. O tratamento médico me pareceu adequado, contudo, inorme seus sintomas e resultados com frequência maior ao seu médico.
      è de grande importância que não se limite ao tratamento medicamentoso. inicie imediatamente um processo psicoterapêutico e se for adepta, faça Yoga e Meditação. Caso queira conversar com maior profundidade, marque uma consulta, sem compromissos, para que possamos esclarecer tudo o que passa com mais cuidado. (11) 3459-8322

  104. Pela primeira vez encontro um estudo ou depoimento que explica o medo do qual sou acometido. Parabéns, pois é exatamente o que ocorre comigo que tenho estes sintomas há anos. Vou levar este estudo para meu psiquiatra. Este medo, no meu caso, somente desaparece quando faço uso de remédios.

  105. bom dia Dr Léo como vai? Tenho um enorme medo em tomar algumas medicaçoes, bem como calmantes e antibiotc, ou outros mais agracessivos. Pois uma certa vez foi prescrito pra mim a paroxetina e tive tre taquicardias, depois da mesma ,Emfim…. Já faço uso de rivoltril ha mais de 6 anos, … Penso que todo medicameto me dará a mesma coisa, ou como já sinto tonturas, frequentes, tenho cisma de ficar mais tonta, qualquer medicamento. Na verdade hoje tomo apenas 6 gotas de rivoltril gotas a mais de seis anos, masja cheguei tomar 20 gotas.. Não compreendo porque o meu medico passou pra eu tomar o rivoltril pela manha mas nao sinto soo , nada, agora se nao tomara , nao consigo nem dirigir…… e fc tremendo muito… Me ajudNo caso da homeopatia será que e a descobrir como perder esse medo até mesmo prara poder tomar outro tipo de antidressivo , ou sei lá….. sera que no caso da homeopatia ainda resolveria esse trantorno???? Obrigada e que tds que sofram de qual quer que seja a enfermidade possa sse recompor…… DEUS É MAIOR EM NOSSAS VIDAS……. AMÉM!!!!!

    1. Oi Natália.
      Existem pessoas que conseguiram conter e tratar as crises de. ansiedade através homeopatia. Procure um Homeopata e marque uma consulta.
      Contudo, seria muito interessante que você participasse de algum processo psicoterapêutico para entender e resolver as causas de sua ansiedade. Obrigado

  106. Aconselho as pessoas com problemas que procurem pesquisar na internet, sobre o tratamento com vitamina d3. A baixa dessa vit., que na verdade é um hormônio, interfere em situações ligadas ao sistema nervoso.

  107. Oi meu nome é Ana Paula tenho 31 anos ah dois mês atrás sentir muito dor na nuca e um tontura parecia que eu ia desmaia então fui ao hospital e o médico me falou que era pressão alta então me passou remédio pra toma que eu tô tomando até hj só que isso mexeu muito comigo então eu coloquei isso na minha cabeça comecei sentir sintomas já corria pro hospital fazia exames não Tavares nada comecei a ir pra igreja até que passou minha pressão e super baixa agora só que depois de dois meses esse formigamento na nuca volto fui a hospital o médico me disse que era só ansiedade estou com esse problema agora não posso sair pra lugar nenhum que eu nunca fui que preciso de ajuda de um piscicolo me ajudar só vivo com pensamento ruims

    1. Ana Paula, boa noite.
      É importante que faça psicoterapia para entender e vencer seus medos e as ameaças que enfrenta. Caso queira se aprofundar, marque uma sessão sem compromissos. Me coloco a disposição em ajuda-la. (11) 3459-8322

  108. Esta me acontecendo uma coisa estranha, tipo assim, estou trabalhando, andando ou deitado e derrepente um pensamento banal me causa um pavor muito grande uma sensação muito ruim com medo de ficar louco, de não voltar mais ao normal. Bem rápido procuro pensar em outra coisa, por exemplo: rezo, ou fico olhando fixo para um ponto no teto… ou seja, procuro sair daquele pensamento. Ele continua por uns 30 segundos e passa. Por um breve instante fico me sentindo como se tivesse saído de um grande perigo. Fico com uma sensação de aperto na garganta. Não fico suado… Não fico trêmulo… Logo fico normal… O q pode ser?

    1. Michel, muito provavelmente você está de ansiedade. Seria oportuno consultar um psiquiatra para obtenção do diagnóstico. Concomitantemente, procure iniciar um processo psicoterapêutico. Caso necessite analisar este assunto com mais profundidade, agende um horário, sem compromissos, para conversarmos.
      (11) 4125.2513. Obrigado pela partilha.
      Léo Baroni

  109. Eu tenho medo das coisas q pode acontecer e comeso a imaginar ..comeso a chorar..da um sentimento d impotencia ..
    Q eu n psso faze nda nem vo poder..
    E nao consigo me socializar com pessoas sla medo do q vao pensa ai me excluo..nunca fui d ter muitas amizades .. ..e tenho vergonha das pessoas tambem. Tudo isso me dexa muito mal me faz sofrer
    Oque pode ser?
    Oque tenho q fazer pra me ajudar

    1. Geovana, boa noite. Parece que você apresenta sintomas característicos de Fobia Social. Recomendo iniciar um tratamento psicoterapêutico. Caso necessite, me procure no consultório para conversarmos a respeito. Obrigado

  110. boa tarde,tenho panico e ansiedade,,de uns tempos fiquei alergica tenho muitas crises d falta d ar a medica passou bombinha aerolin,mas n tive coragem ainda d usar e to sentindo muita d ar fico pensando no efeitos colaterais ou ter uma reacao alergica e acontecer o pior ,nao sei o q faco preciso tomar o remedio !

    1. Thamires, boa noite.
      O melhor seria consultar um psiquiatra, pois se sua dificuldade respiratória for sintoma decorrente dos seus medos, remédios para crises asmáticas não ajudarão. Obrigado

Deixe uma resposta para rodrigo moreira alves Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s